Carregando...

Entretenimento

Imagem: Arquivo de Divulgação

A Cor do Som: 40 anos do grupo que subverteu a música brasileira

O percussionista e baterista do grupo que já foi indicado ao Grammy Latino falou ao RádioCast sobre show em BH

Por Fernanda Ribeiro e Raphaela Faria

O RádioCast de hoje conversou com o baiano da cidade de Salvador, percussionista e baterista do grupo A Cor do Som, Ary Dias que cursou a Universidade Federal da Bahia e integrou, durante quatro anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia. 


Habilitado em música contemporânea, foi um dos fundadores do Grupo de Música Contemporânea da UFBA, ao lado dos músicos e compositores Ernest Widmer, Lindenberg Cardoso, Piero Bastianelli e Agnaldo Ribeiro. Com o professor Walter Smetak – suíço radicado na Bahia, músico, pesquisador e docente da UFBA – trabalhou no projeto de pesquisa dos Microtons. 

Fundou também um dos primeiros grupos instrumentais de Salvador, a Banda do Companheiro Mágico, e com o Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar foram dez anos de carnaval de rua, seis discos gravados, tornando-se então pioneiro ao colocar a primeira bateria no alto de um Trio Elétrico. 

Convidado por Moraes Moreira, foi para o Rio de Janeiro integrar sua banda que já contava com Dadi, Mu, Armandinho e Gustavo Schroeter. Nascia o grupo A Cor do Som, banda de reconhecido sucesso nacional e internacional, com dez discos gravados e vários prêmios conquistados – entre eles, o Prêmio Sharp 1997 de melhor grupo de música popular e o Prêmio Tim 2006 de melhor grupo de canção popular. Ao longo da carreira, Ary integrou as bandas de Gilberto Gil, Jorge Benjor e Rita Lee, além de ter gravado com Caetano Veloso, Chico Buarque, Erasmo Carlos, Luis Melodia, Carlinhos Brown e Tools Thilemans, entre outros. 

Com os companheiros de longa estrada A Cor do Som comemorou os 40 anos do grupo com o CD 40 Anos em 2018, em 2020, lançaram o Álbum Rosa, uma viagem no tempo, à essência do grupo, com oito faixas instrumentais que se espalhavam por quatro álbuns, editados originalmente entre 1977 e 1981.

O grupo A Cor do Som, que faz parte da história da música nacional na década de 70, se reúne para uma única apresentação, com sua formação original, em BH. O show que foi adiado por causa da pandemia, agora, já tem data confirmada! A Cor do Som sobe ao palco do Grande Teatro do Palácio das Artes, no dia 2 de outubro, sábado, às 21 horas, com ingressos limitados.

Confira a participação completa abaixo:


Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais