Gastronomia

  1. Entretenimento
  2. Gastronomia
  3. Cinco salgados imperdíveis e onde comê-los em BH!
Imagem: Baixa Gastronomia / Instagram / Divulgação

Cinco salgados imperdíveis e onde comê-los em BH!

Da coxinha à esfiha, quitutes que têm endereço certo na capital dos butecos


Entretenimento

Nenel Neto

Entusiasta dos botecos, apresentador do Buteco 98 e jornalista do perfil Baixa Gastronomia no Instagram


Esfiha, empada, coxinha e outros salgados fazem parte da vida cotidiana dos brasileiros, principalmente naquele informal lanche da tarde, e, ainda por cima, geram debates acalorados sobre onde são os melhores lugares para se comer tais iguarias.

Para contribuir com essas eternas discussões, deixo aqui a minha lista de casas para se comer bons salgados em Belo Horizonte.

Coxinha

Começamos pelo mais popular deles, a coxinha! Ultimamente, tenho me derretido de amores pela vendida no Bar da Lili, que fica no Santa Tereza. 

A coxinha em questão é de comer ajoelhado, chorando e agradecendo a Deus por esta iguaria existir no plano terrestre.

A massa é fina, o recheio de frango é suculento, sem ser caldoso, e, o melhor, leva cheiro verde.

Ela é absolutamente fora da curva. E não precisa de requeijão de nenhuma marca para deixá-la melhor.

Não tenho nada contra o Catupiry e suas imitações, mas, pense comigo: se você colocar um bom requeijão no recheio da coxinha, a parte do frango não precisa ser muito boa, pois o produto lácteo em questão serve para mascarar vários defeitos do preparo. A coxinha do Bar da Lili é frita regularmente e vai direto para a estufa do pequeno boteco, mas não permanece muito tempo por lá, já que o giro é imenso. Ela é fornecida com exclusividade por uma salgadeira de confiança da Lili. 

As fãs de coxinha, indico veementemente. O Bar da Lili fica na Rua Quimberlita, 254.

(No Caçapa a massa é podre, e a empada é perfeita! Foto: Baixa Gastronomia / Instagram / Divulgação)

Empada 

Minha empada preferida não é vendida em uma lanchonete, mas em um botequim. É no Bar do Caçapa que me deleito com a empadinha de massa podre, que desmancha na boca juntamente ao úmido recheio de frango com azeitona. 

Ela não é tão grande, por isso, dá pra comer duas ou três com certa facilidade. 

É uma empada verdadeiramente deliciosa. O Bar do Caçapa fica na Rua Palmira, 836, no bairro Serra.

(Clássico dos botequins, o pastel é a companhia perfeita para aquela cerveja gelada. No Bar do Piru tem para todos os gostos - Foto: Baixa Gastronomia / Reprodução / Instagram)

Pastel

Pastel de botequim me encanta. E um dos melhores é o vendido no Bar do Piru, no bairro Anchieta. 

Cravado há 50 anos na esquina das ruas Caratinga e Montes Claros, o botequim tem como carro-chefe os seus pasteis, produzidos a partir do zero na casa.

Antes de ser frita, a saborosa massa recebe um pouco de cachaça, para que fique com aquelas bolhas crocantes do lado de fora. 

O meu preferido é o pastel de queijo, mas também tem de carne e, às vezes, de bacalhau. 

Depois de pedir o seu, é só abrir uma cerveja gelada para acompanhar e ser feliz.

O Bar do Piru fica na Rua Montes Claros, 977

(Enrolado de presunto e queijo do Serjão. Sem presunto ralado, como deve ser! - Foto: Baixa Gastronomia / Reprodução / Instagram)

Enrolado de presunto e queijo 

Desconheço um enrolado de presunto e queijo tão bom quanto o da Lanchonete do Serjão, que fica no bairro Funcionários. 

Quem prepara é o salgadeiro Marcão, um sujeito da melhor estirpe que se garante nesse assunto.

Esqueça aqueles enrolados massudos. No Serjão, a coisa é levada a sério. A massa é fina e leve, e o recheio é de qualidade. Ah, e nada de presunto ralado por lá. Ainda bem. Se quiser outros recheios, tem de calabresa, lombinho canadense e até de salaminho.

A Lanchonete do Serjão fica na Rua Paraíba, 1069

(Artesanalmente perfeitas, as esfihas da Samira são 50 gramas de puro sabor - Foto: Baixa Gastronomia / Reprodução / Instagram)

Esfiha 

As esfihas do Prazer da Esfiha têm me agradado muito, em especial as menores, que pesam cerca de 50 gramas. 

O grande lance é que o recheio ainda está cru na hora em que elas são colocadas no forno. Quando saem, a carne está assada, porém úmida e suculenta.

As massas são fechadas uma a uma por Samira Abuid, a quem apelidei de “Artesã das Esfihas”.

Sou capaz de comer estas pequenas esfihas aos montes, ainda mais acompanhadas do sensacional molho de alho caseiro. 

O Prazer da Esfiha fica na Rua Itapecerica, 822, na Lagoinha.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais