Carregando...

Turismo

Imagem: Instituto Estrada Real / Reprodução

Destaque Caminho Novo - Juiz de Fora

Notícias

Daniel Magalhães Junqueira

Coluna de Turismo assinada por Daniel Magalhães Junqueira - Presidente do Instituto Estrada Real


A Princesa de Minas, Juiz de Fora, tem muita história pra contar! Nascida em meados de 1700, a cidade, que faz parte do Caminho Novo, fica a aproximadamente 283 km de Belo Horizonte.

Além de ser chamada de “Manchester Mineira”, em referência à cidade de Manchester, na Inglaterra, devido ao pioneirismo da produção industrial, Juiz de Fora é conhecida por Princesa de Minas, devido ao trecho no hino da cidade: “Viva a princesa de Minas, Viva bela Juiz de Fora”.

O nome Juiz de Fora gera muitas dúvidas quanto à sua origem. O juiz de fora era um magistrado nomeado pela Coroa Portuguesa para atuar onde não havia juiz de direito. A versão mais aceita pela historiografia admite que um desses magistrados hospedou-se por pouco tempo em uma fazenda da região, passando esta a ser conhecida como a Sesmaria do Juiz de Fora. Mais tarde, próximo a ela, surgiria o povoado. A identidade exata e a atuação desse personagem na história local ainda são polêmicas.

Um personagem de grande importância no município foi o engenheiro alemão Heinrich Wilhelm Ferdinand Halfeld (Henrique Guilherme Fernando Halfeld), que após realizar uma série de obras a serviço do Estado Imperial Brasileiro, fixa residência na cidade, se envolve na vida política, constrói a Estrada do Paraibuna e promove diversas atividades no município, sendo considerado um de seus fundadores.

A cidade possui diversos museus, teatros, parques, mirantes, clubes, galerias, entre diversas atrações, destaque para um dos pontos mais altos da cidade, o Morro do Imperador, visitado frequentemente por turistas e moradores da região. O mirante fica situado a 930 metros de altitude e possui uma visão panorâmica belíssima do município de Juiz de Fora.

O local também ficou conhecido como Morro do Cristo, já que foi construída uma estátua em homenagem ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Para chegar até o mirante é necessário fazer uma trilha com cerca de trinta minutos de duração. O percurso até o local pode ser feito com segurança e possui fácil acesso.

Para aqueles que têm interesse em conhecer mais sobre a história da cidade, os museus são sempre uma boa escolha e Juiz de Fora conta com dezoito espaços museológicos. O Museu Mariano Procópio é o mais antigo de Minas Gerais e conta com o segundo maior acervo do país, com cerca de 50 mil peças disponíveis.

O museu fica localizado em um espaço com uma variedade em fauna e flora, com um belíssimo ambiente arborizado e jardins.

A culinária em Juiz de Fora abrange o que há de melhor da comida mineira, sem deixar as delícias gastronômicas de outras regiões do Brasil e do mundo, além de ser um dos principais polos de cervejas artesanais do estado, tendo 15 marcas registradas e a primeira cervejaria mineira, criada em 1861 pelo alemão Sebastian Kunz.

Uma curiosidade histórica e importante sobre a produção cervejeira de Juiz de Fora, é a cerveja Hofbauer, uma homenagem a São Maria Hofbauer, santo austríaco da Congregação do Santíssimo Redentor. A cerveja é produzida no porão da Igreja de Nossa Senhora da Glória e fica dentro de um convento, construído por religiosos holandeses da Congregação Redentorista no fim do século XIX. A produção é pequena, feita duas vezes ao ano para o consumo dos padres.

Andar pelas ruas de Juiz de Fora também é cultura. Os painéis "As Quatro Estações" e "Cavalos", obras do renomado artista Cândido Portinari, que foram adquiridos em 1956, estão localizados no centro da cidade, entre a Rua Halfeld e Avenida Barão do Rio Branco, na fachada do Edifício Juiz de Fora.

Descubra, explore, sinta, experimente a Estrada Real! Estrada Real: Uma estrada, seu destino!

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais