Turismo

  1. Entretenimento
  2. Turismo
  3. Roteiro Bem-estar: descubra onde relaxar na Estrada Real
Imagem: Instituto Estrada Real / Divulgação

Roteiro Bem-estar: descubra onde relaxar na Estrada Real

Separamos quatro destinos imperdíveis no Circuito das Águas; confira!


Entretenimento

Daniel Magalhães Junqueira

Coluna de Turismo assinada por Daniel Magalhães Junqueira - Presidente do Instituto Estrada Real


Cuidar da saúde e vivenciar a tranquilidade do interior, com clima ameno e natureza preservada. Na Estrada Real, você encontra balneários terapêuticos, spas e estâncias hidrominerais. São fontes termais e com propriedades medicinais, como as cidades do Circuito das Águas, que além do poder medicinal de suas águas, do clima e das opções de passeios, as cidades são famosas por serem muito acolhedoras e agradáveis. 

O destino certo para os turistas em busca de alternativas para melhorar ou manter a saúde, que almejam livrar-se do estresse e desejam tranquilidade, relaxamento e muita paz.

Conhecidos desde a antiguidade, os benefícios terapêuticos trazidos pelas águas minerais naturais só começaram a ser estudados e documentados a partir de 1604, quando o Rei Henrique IV promulgou na França a primeira legislação sobre os líquidos minerais naturais. A partir daí, a “crenoterapia” que em grego significa “terapia das fontes” se consolidou, passando a ser conhecida atualmente também como hidroterapia, tratamento com poder das águas. 

Separamos uma lista de destinos para quem quer relaxar na Estrada Real!

Caxambu

Começamos por Caxambu (que significa "água que borbulha" ou "bolhas a ferver"). A região era habitada originalmente por índios cataguases. No ano de 1714, era conhecida como Cachumbu, onde habitava o Alferes Alberto Pires Ribeiro. Mais adiante, no ano de 1814, existiam duas fazendas naquela região: a Fazenda das Palmeiras e a Fazenda Caxambu. Afirma-se que nesta época foi quando descobriu-se a existência das fontes de água mineral.

Caxambu ficou conhecida depois que a Princesa Isabel visitou a região atraída pela fama das águas curativas e obteve êxito como a preferida da família real. Além das 12 fontes de águas minerais variadas, na qual é a maior concentração de águas carbogasosas do planeta de águas minerais, a cidade também oferece banhos terapêuticos indicados para diversos fins.

Cambuquira

Cambuquira vem da língua indígena tupi-guarani quer dizer "mato brotado ou broto de aboboreira", que é uma iguaria muito apreciada e comercializada pelos seus antigos moradores.

Na região de Cambuquira, originalmente no ano de 1798, estava a Vila da Campanha da Princesa, com terras que iam do Sul do Rio Grande até a Serra da Mantiqueira. Onde hoje é o largo de São Francisco, foi construída a sede da Fazenda Boa Vista, que era propriedade de três irmãs solteiras. Quando as três morreram, por não possuíam herdeiros, os seus escravos herdaram o terreno. Em 1861, essas terras foram consideradas de utilidade pública, pela Câmara Municipal de Campanha, por causa da descoberta de águas medicinais no local.

Em 1911 foi criado o município que se chamava São Sebastião de Cambuquira, e em 1925 foi elevado à categoria de cidade. A cidade foi transformada em estância hidromineral na década de 70, com a criação do principal atrativo turístico, o Parque das Águas. O local possui 5 fontes de água mineral com poder curativo e terapêutico.

Lambari

O nome da cidade de Lambari é uma variação do vocábulo Alambari, que por sua vez surgiu a partir do tupi "araberi". Designa uma espécie de peixe pequeno, abundante em um rio da região, que por isso foi batizado Lambari.

As águas minerais foram descobertas em 1780 por Antônio de Araújo Dantas, que, vindo de Campanha, encontrou nascentes em terrenos que havia comprado. Entre os anos de 1830 e 1832, a Câmara Municipal de Campanha desapropriou uma área de 12 alqueires dos herdeiros de Antônio de Araújo, para executar obras de proteção das fontes. O povoado foi distrito de Campanha até 1901, quando se tornou o município de Águas Virtuosas. Em 1930, passa a ser denominado Lambari. 

O Parque das Águas de Lambari possui um belo jardim e suas seis fontes são a maior riqueza do parque, com suas águas de variados sabores e indicações terapêuticas.

São Lourenço

A água de São Lourenço foi descoberta por Antonio Francisco Viana, dentro da terra que lhe foi herdada. Por causa disso, onde hoje se localiza o Parque das Águas, era conhecido anteriormente como Água do Viana. A concessão para a utilização da água foi em 1890, porém mais tarde em 1905, com a Companhia das Águas Minerais de São Lourenço, administrada por Afonso França, o termalismo toma maior impulso com o crescimento da cidade.

Os efeitos da nascente fizeram com que o lugar se tornasse um grande atrativo para as pessoas que ansiavam por experimentar esse poder mágico de cura. Atualmente o Parque das Águas de São Lourenço, é um parque privado, que pertence à Nestlé. Dentro estão presentes as fontes de água mineral e o balneário. Tem a extensão de 430 mil m2 de alamedas e gramados, um lago com 90 mil m2 – com passeios de barco e pedalinho – e áreas de recreação ao ar livre. Constituído de sete fontes de água mineral.

Aproveite o descanso e a paz de viajar para relaxar na Estrada Real. Estrada Real: uma estrada, seu destino!

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais