Carregando...

Atlético

Imagem: Pedro Souza/Atlético

Atlético garante empate com a Chapecoense

Com o resultado, o Atlético vai a 50 pontos, com a liderança isolada do Brasileirão. Já a Chapecoense continua amargando a lanterna

Por Vinícius Silveira

O Atlético empatou com a Chapecoense, por 2 a 2, na Arena Condá, valendo pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Geuvânio e Mike marcaram para a Chape. Dylan Borrero e Eduardo Sasha anotaram para o Galo.

Com o resultado, o Atlético vai a 50 pontos, com a liderança isolada do Brasileirão. Já a Chapecoense continua amargando a lanterna e caminhando para o descenso à Série B.

Na próxima rodada, o Atlético receberá o Ceará, sábado (9), às 16h30, no Estádio Mineirão.

Atlético abre o placar, mas Chape empata

Antes da partida, o técnico Cuca trouxe cinco novidades no time. Guga, Igor Rabello, Dodô, Dylan Borrero e Keno, substituindo os ausentes na equipe. O treinador atleticano manteve o esquema com quatro jogadores de meio-campo.

No primeiro tempo, o Atlético iniciou melhor, buscou as ofensivas, mas encontrou uma Chapecoense que não se intimidou por estar frente a frente com o líder do Campeonato Brasileiro, e respondeu ao Galo da mesma maneira.

Contudo, foi o Atlético quem abriu o placar. Após escanteio cobrado por Nacho Fernández, Busanello cortou errado e a bola sobrou para Dylan Borrero, que dominou e chutou forte, no alto das redes de Keiller.

O Atlético poderia ampliar o marcador, mas encontrou dificuldades com a marcação da Chapecoense. Por sua vez, a Chape conseguiu chegar ao empate. Busanello fez o cruzamento da esquerda, e Geuvânio desviou na segunda trave. Everson fez grande defesa, porém a bola já tinha entrado. O VAR confirmou o gol do time de Chapecó.

No decorrer do primeiro tempo, o Atlético teve maior posse de bola, buscou trabalhar o jogo, mas faltava qualidade na criação e para sair da marcação da Chapecoense. A Chape tentava responder no ataque, sem sucesso.

Galo vai buscar o empate nos minutos finais

No segundo tempo, os primeiros minutos foram quase todos da Chapecoense. A Chape ficou no campo de ataque, levou perigo em bolas paradas e pressionou tentando a virada no placar.

O Atlético só conseguiu sair da defesa a partir dos dez minutos, aproveitando as descidas de Hulk, que puxava o contra-ataque. Nacho Fernández teve duas chances para finalizar, mas na primeira foi desarmado, e na segunda, mandou a bola para fora.

Mesmo com o Atlético indo melhor na partida, e o técnico Cuca apostando na ofensividade, tirando Igor Rabello e colocando Eduardo Sasha, foi a Chapecoense que teve o que comemorar. Rodriguinho chutou forte e a bola tocou no braço de Nathan Silva. Pênalti marcado e convertido por Mike, que tocou a bola no canto direito de Everson.

A partir de então, o jogo foi de um time. O Atlético pressionou, atuou da intermediária para o ataque, mas sofreu com erros de passe ou condução exagerada da bola. A Chapecoense sofria e levava a melhor em todos os lances.

Contudo, a pressão atleticana teve efeito aos 37 minutos. Calebe avançou como lateral e cruzou a bola na cabeça de Eduardo Sasha, que só escorou de cabeça para as redes. Após o empate, a pressão ficou ainda maior.

Aparentando aceitar o empate e esperando o fim do jogo, a Chapecoense segurava a pressão do Atlético. Por sua vez, o Galo era agressivo, e teve mais uma chance clara de marcar. Hulk ganhou a jogada pela direita, passou para o meio e Hyoran finalizou. Keiller fez grande defesa. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais