Atlético

  1. Esporte
  2. Atlético
  3. Atlético vence o América e é líder do Grupo D da Libertadores
Imagem: Pedro Souza/Atlético

Atlético vence o América e é líder do Grupo D da Libertadores

Com o resultado, o Atlético retoma a liderança do Grupo D, com oito pontos. Já o América segue na lanterna, com apenas um ponto.


Por Vinícius Silveira

O Atlético venceu o América, por 2 a 1, no Estádio Independência, valendo pela quarta rodada da Copa Libertadores da América. Os gols do Galo foram anotados por Guilherme Arana e Nacho Fernández. Germán Conti fez o gol de honra do Coelho.

Com o resultado, o Atlético retoma a liderança do Grupo D, com oito pontos. Já o América segue na lanterna, com apenas um ponto. E em caso de vitória do Independiente Del Valle sobre o Tolima, o Coelho dá adeus a qualquer sonho de classificação, restando, apenas, a briga pelo terceiro lugar, que dá vaga na Copa Sul-Americana. 

Os dois times se encontram novamente no sábado (7), às 16h30, pelo Campeonato Brasileiro, também no Independência.

América erra e sofre gols do Atlético

Com um esquema para marcar firme o Atlético, o América se preocupou com a marcação, enquanto o Galo trocava passes buscando abrir os espaços preenchidos pelo Coelho. 

Se com a bola dominada estava difícil de levar perigo ao América, foi em um erro do Coelho que o Galo abriu o placar. Juninho errou na saída de jogo na frente de Hulk. O Vingador fez a jogada e serviu a Guilherme Arana, que finalizou para as redes de Jaílson, que ainda tocou na bola antes de ela entrar. 

Atrás no marcador, o América saiu para o ataque e passou a levar perigo ofensivamente, construir jogadas. O Atlético adotou a postura de ficar na defesa e armar o contra-ataque. Em uma dessas jogadas, quando o Coelho era melhor, o Galo ampliou o placar. Arana recebeu na esquerda e passou para Nacho Fernández, que fez o segundo gol. 

Quando a situação aparentava ser pior do que se imaginava, o América diminuiu o marcador. Após o escanteio, Everson falhou na defesa e a bola sobrou para Conti, que mandou a bola para as redes. 

Muito entusiasmo e poucas chances

Na etapa final, os dois times voltaram buscando jogo, tentando ter a posse de bola e finalizar. O primeiro arremate de perigo foi de Nacho Fernández, que recebeu na área e chutou cruzado, para ótima defesa de Jaílson. 

As jogadas de ataque do América buscavam a velocidade de Pedrinho e Paulinho Bóia. Aos oito minutos, Bóia buscou o contra-ataque e sentiu dores fortes na coxa esquerda. Imediatamente foi substituído por Índio Ramirez. 

Sem Paulinho, o América perdeu um pouco da velocidade de ataque e passou a cadenciar mais o jogo. O Atlético adotou a estratégia do contra-ataque, mas não se utilizou com acerto desta jogada. 

Mesmo com poucas ofensivas perigosas, o Galo perdeu chance com Keno, frente ao Jaílson. O América também teve apenas uma oportunidade de perigo no cabeceio do zagueiro Éder, para grande defesa de Everson.

Nos minutos finais, muita pressão do América, que dominou a reta decisiva da partida, mas sem traduzir em gols. O Atlético apostava somente no contra-ataque, porém, sem aproveitamento.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais