Atlético

  1. Esporte
  2. Atlético
  3. Atlético vence o Flamengo nos pênaltis e conquista a Supercopa do Brasil
Imagem: Pedro Souza/Atlético

Atlético vence o Flamengo nos pênaltis e conquista a Supercopa do Brasil

Com o título, o Atlético fecha um ciclo vitorioso em campeonatos nacionais, ganhando os três títulos possíveis de conquistar: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e a Supercopa do Brasil.


Por Vinícius Silveira

O Atlético garantiu o título da Supercopa do Brasil. O Galo empatou com o Flamengo, por 2 a 2, e venceu nos pênaltis, por 8 a 7, em partida disputada na Arena Pantanal, em Cuiabá. Nacho Fernández e Hulk marcou no tempo normal para o alvinegro. Gabriel e Bruno Henrique anotaram para o rubro-negro.

Com o título, o Atlético fecha um ciclo vitorioso em campeonatos nacionais, ganhando os três títulos possíveis de conquistar: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e a Supercopa do Brasil.

Atlético sai a frente no marcador 

Antes do jogo, os dois treinadores evitaram fazer surpresas nas escalações. O técnico Antônio Mohamed não escalou Zaracho nem para o banco de reservas, e escolheu Savarino. Por sua vez, Paulo Sousa escalou João Gomes e deixou Andreas Pereira no banco de reservas.

Nos primeiros minutos, o Atlético comandou as ações em campo. Trabalhou as jogadas, procurando o lado esquerdo e explorando a dobra Guilherme Arana e Keno, mas na hora do último passe, a defesa do Flamengo se sobressaiu.

Aos poucos, o Flamengo se encontrou na partida, igualou as condições de campo e passou boa parte do primeiro tempo melhor em campo. O rubro-negro criou ótimas jogadas, finalizou com perigo com Arrascaeta e Gabriel.

Após a parada técnica dada pela arbitragem, o Atlético voltou ao jogo e igualou condições com o Flamengo até abrir o placar. Aos 41 minutos, Guilherme Arana chutou, Hugo Souza deu rebote, e Nacho Fernández apenas escorou para as redes, abrindo o placar.

Flamengo melhora, vira o placar, mas o Atlético tem Hulk 

Na etapa final, as duas equipes não voltaram com alterações, mas o Flamengo mostrou ter uma estratégia mais bem elaborada. O Atlético tinha maior posse de bola, porém, não traduziu em gols.

Sem a bola, o Flamengo se defendia com muita qualidade, e nos contra-ataques foi letal quando precisou. Aos 10 minutos, Everson defendeu a bola em um ótimo cabeceio de Bruno Henrique, mas não impediu o rebote de Gabriel.

Oito minutos depois, foi a vez de Bruno Henrique receber lançamento de Lásaro, aproveitou a falha de Godín e tocou por cima de Everson para virar o marcador. Até aquele momento, era tudo o que Flamengo queria, e o Atlético, que não estava bem, teria que se reencontrar em campo.

O Atlético saiu pra cima do Flamengo, e o técnico Antônio Mohamed colocou Ademir e Vargas, e sacou Savarino e Keno. As alterações surtiram efeito quase imediato. Aos 29 minutos, Ademir cruzou, Vargas ajeitou para o meio e Hulk soltou uma pancada de perna direita, sem qualquer chance para Hugo Souza.

Até o final da partida, o jogo ficou aberto e as duas equipes criaram oportunidades. A partida ficou em alta tensão e só poderia se decidir na cobrança de pênaltis.

Muitos pênaltis perdidos, emoção e título para o Galo

Se sobrou emoção no tempo normal, o torcedor mal esperava pelo o que aconteceria nas cobranças de pênaltis. Nas cinco primeiras batidas, todos acertaram. Foi nas batidas alternadas que a situação ficou séria.

O goleiro Everson entrou em ação e defendeu três cobranças. Porém, o Atlético perdeu com Guga, Everson, Mariano e Godín. Coube a Hulk colocar o Galo de novo em vantagem, e Everson pegou a cobrança de Vitinho, dando o título ao Galo.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais