Atlético

  1. Esporte
  2. Atlético
  3. Onze anos depois, Atlético leva cinco gols e perde para o Fluminense no Maracanã
Imagem: Pedro Souza/Atlético

Onze anos depois, Atlético leva cinco gols e perde para o Fluminense no Maracanã

Com o resultado negativo, o Galo caiu para a quarta colocação na tabela do Campeonato Brasileiro.


Por Guilherme Souza

Com a chance de dormir na liderança do Campeonato Brasileiro, o Atlético visitou o Fluminense na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Em um jogo movimentado, o Tricolor venceu por 5x3. Arias, Samuel Xavier, Cano, duas vezes, e Luiz Henrique anotaram os gols dos donos da casa. Hulk, Jair e Eduardo Sasha diminuíram para o Galo

Com o resultado, o alvinegro caiu para a quarta colocação, com 16 pontos.

O Atlético volta a campo no sábado, diante do Santos, às 19h, no Mineirão, em duelo da décima primeira rodada.

APAGÃO DO GALO NO PRIMEIRO TEMPO

O Atlético começou a partida se lançando ao ataque pelos lados. Na esquerda, Rubens chegava na linha de fundo, enquanto Ademir tentava jogadas individuais pela direita. Eduardo Sasha tentava sair da área para buscar a bola, enquanto Hulk fazia o papel de centroavante.

Em uma falha coletiva da defesa atleticana pelo lado direito, o Fluminense abriu o placar aos quatorze minutos. Ganso arrancou, achou Luiz Henrique na área, que só pisou e ajeitou para Arias. O tricolor bateu no ângulo, vencendo Everson.

Aos vinte e oito, mais um apagão na defesa do Galo. Samuel Xavier tabelou com Arias e cruzou na medida para Cano, que só escorou de barriga, ampliando o placar.

Aos trinta e três, o Galo esboçou uma reação. Sasha recebeu excelente cruzamento e cabeceou. O goleiro Fábio operou um milagre. Na sequência, Fábio saiu jogando errado, entregou de bandeja para Jair, que cruzou na medida para Hulk, que não perdoou e diminuiu.

Quando parecia que o Atlético entraria efetivamente no jogo, veio mais uma ducha gelada. Aos trinta e seis, Luiz Henrique fez ótima jogada individual pela direita, cruzou na área, onde estava Samuel Xavier, como elemento surpresa. O lateral-direito cabeceou e fez o terceiro.     

Nos acréscimos, Junior Alonso fez o papel de lateral-esquerdo, e cruzou para Jair, que só empurrou para o gol do time da casa, diminuindo o prejuízo antes mesmo do intervalo.

GALO BUSCA O EMPATE, MAS DORME NOVAMENTE

Logo aos sete minutos do segundo tempo, o Galo parecia que mudaria a história do jogo. Jair tabelou com Ademir e cruzou para Eduardo Sasha, que completou de cabeça para o gol, empatando a partida.

Quando tudo caminhava para uma mudança de astral de postura, o Atlético cochilou por mais duas oportunidades e levou dois golpes certeiros.

Aos doze, Cris Silva cruzou para a área, Luiz Henrique chegou para cabecear, mas a bola sobrou para o artilheiro Cano, que soltou um chutaço no ângulo para anotar o quarto.

O nocaute alvinegro veio aos dezessete, quando Luiz Henrique recebeu belo passe de André entre os defensores do Galo, foi levando a bola e bateu no cantinho de Everson, sacramentando a vitória Tricolor por 5x3.   


DERROTA PESADA

O Atlético não sofria cinco gols em uma partida desde a goleada do maior rival, em 2011. O Cruzeiro venceu por 6x1 na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, no dia 4 de dezembro daquele ano.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais