Carregando...

Cruzeiro

Quebrar a sequência de cinco jogos sem derrota do Avaí será a missão do Cruzeiro neste sábado, às 16:30, no Mineirão, em jogo válido pela 12a rodada da Série B. Os avaianos chegam para a partida com um retrospecto de três vitórias e dois empates.

O time de Mozart acumula quatro jogos de invencibilidade, porém, todos apenas ao empatar, o que impediu um salto da equipe celeste na tabela.

Mas para interromper o bom momento dos catarinense na competição o Cruzeiro precisará apresentar uma melhora na produção ofensiva.

Apesar dos 11 gols sofridos na Série B, o Avaí tem na fase defensiva uma das principais virtudes coletivas. Destes 11 gols, nove aconteceram com o time de Claudinei Oliveira organizado para se defender, mas sendo cinco com finalizações que tiveram origem fora da área. Gols que podem fazer o goleiro Gledson perder a titularidade.

Números do Instat Football colocam o Avaí como a equipe com a menor expectativa de gol contra no campeonato: 9. Ou seja, na realidade sofreu dois gols a mais do que se esperava. 

Mas comparado aos números do Cruzeiro nota-se a diferença na consistência defensiva das equipes: a expectativa de gol contra do Cruzeiro é de 13 (quatro a mais em relação ao Avaí), mas na verdade já sofreu 19. Mesmo assim, a métrica aponta que o Cruzeiro tende a sofrer ao menos um gol todo jogo.

A estrutruta tática do Avaí para se defender tem sido o 4-1-4-1.  Ao contrário de muitos times da Série B o Avaí adota uma marcação mais por zona, e não individual. A referência para os jogadores no momento defensivo é o espaço, e não o deslocamento individual dos jogadores adversários. Desta forma a equipe apresenta uma boa compactação e sem oferecer muito espaço na faixa central do campo. O objetivo do Avaí é condicionar o rival para o lado e poder aumentar a pressão e retomar a bola. Manter dois jogadores em amplitude (alargando o campo) pode ser uma alternativa para o Cruzeiro para gerar dúvidas para o rival. Veja no vídeo abaixo.

Como ataca?

Gerar finalizações via cruzamento para área é a principal arma dos catarinenses. Com um ataque bastante direto, o Avaí é o terceiro time que mais retém a posse de bola em campo rival na Série B, superado apenas pelo próprio Cruzeiro e Náutico. 

Porém, apresenta um jogo mais vertical que o Cruzeiro, já que é o terceiro na estatística de entradas no último terço do campo, enquanto o time de Mozart é o sexto.

O padrão é não reter a bola no próprio campo por muito tempo. Ao colocar pelo menos 5 jogadores no campo defensivo para iniciar as jogadas, o Avaí visa atrair o adversário e usar a bola longa para os meias e atacantes já darem sequência no momento ofensivo. Como Edilson, ex-Cruzeiro, é um jogador de bom passe longo, frequentemente é acionado para esticar a bola para o ataque. 

Ao manter a posse em campo inimigo, o Avaí tem nas triangulações entre lateral, meia e ponta, um dos principais padrões. O intuito é atrair o adversário para o lado e fazer com que a área fique menos coberta de defensores, e assim efetuar cruzamentos. 

Dos 11 gols marcados pelo Avaí na competição, nove aconteceram dentro da área, o que mostra a frequência de cruzamentos, sejam eles pelo alto ou rasteiros. 

Destes nove gols feitos dentro da área, oito ocorreram com o time em organização ofensiva: levando a bola para o lado e efetuando cruzamento, especialmente visando a entrada de algum jogador pelo lado oposto, nas costas do lateral.

Portanto, partida para redobrada atenção da linha defensiva cruzeirense na bola aérea.

Veja o vídeo abaixo:




Acompanhe Cruzeiro x Avaí amanhã por todas as plataformas da Rádio 98FM a partir das 15:30.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais