Carregando...

Cruzeiro

Imagem: Cruzeiro Esporte Clube

Análise do Adversário: como joga o Botafogo?

Adversário do Cruzeiro neste sábado prioriza jogadas mais trabalhadas

Esporte

Leo Gomide

Réporter Esportivo


Após enfrentar o Coritiba no meio de semana, o próximo desafio do Cruzeiro será contra o Botafogo neste final de semana.

Se na última terça-feira teve de buscar superar um adversário que tem no momento defensivo uma das principais virtudes, o cenário para este sábado no Engenhão deve ser outro.


Apesar de ocupar a 10a colocação na tabela, as métricas mostram que o time carioca poderia estar melhor situado na tabela. 

Segundo o Instat Football, decorridas 10 rodadas na Série B, o Botafogo gerou uma expectativa de17 pontos somados na competição, e não os 12 que realmente possui. Esta métrica é calculada de acordo com o desempenho defensivo e ofensivo das equipes, mas que na prática pode acabar não se concretizando. 

A métrica de Expectativa de Gol do alvinegro corresponde praticamente à realidade: depois de 10 jogos esparava-se ter marcado 13 gols a favor, mas anotou 12. 

Porém, é o desempenho defensivo que apresenta uma maior diferença: se era esperado o Botafogo ter sofrido até aqui apenas 8 gols, a meta do time da estrela solitária foi vazada em 11 oportunidades, na verdade. 


Quantitativamente o Botafogo é o quarto time da Série B que busca pressionar o adversário no campo rival. Contudo, em eficiência aparece em nono no quesito. Encontra problemas quando o adversário escapa desta pressão inicial e tem campo para elaborar as jogadas ofensivas.

Marca com encaixes individuais, por vezes com deslocamentos muito longos, fazendo com que os jogaodres desfaçam as linhas de marcação e proporcionem espaços vantajosos para o time oponente.


No aspecto ofensivo o time de Marcelo Chamusca tem algumas dinâmicas interessantes para manipular a marcação adversária. Especialmente pelo lado esquerdo com o meia-atacante Chay. 

Um dos principais mecanismos do Botafogo é buscar alargar a última linha defensiva adversária fazendo uma movimentação do ponta, que joga mais por dentro, se deslocando de dentro para fora e atraindo o lateral adversário. Ao espaçar o intervalo entre o zagueiro e o lateral adversário, ter algum jogador atacando este intervalo. Veja no vídeo abaixo.


Chay também tem muita influência nas jogadas de bola parada da equipe, outra grande alternativa ofensiva.



Um duelo que pode promover mudança de posição entre as duas equipes na tabela, caso o Cruzeiro vença o time carioca.

Acompanhe a transmissão da partida por todas as plataformas da Rádio 98FM

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais