Carregando...

Cruzeiro

Imagem: Reprodução/Rádio 98

Árbitro analisa lances polêmicos da partida entre Cruzeiro x Operário

Cleisson Veloso Pereira avaliou que o pênalti não deveria ter sido marcado, mas que o gol do atacante Marcelo Moreno foi anulado corretamente.

Por Thais Santos

O ex-árbitro Cleisson Veloso Pereira concedeu entrevista ao 98 Esportes de hoje e falou sobre os lances polêmicos da partida entre Cruzeiro x Operário, ontem, na Arena Buser, em Sete Lagoas, pela 24ª rodada da Série B. A atuação do árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira foi bastante criticada pela Raposa, que reclamou de cartões não aplicados para jogadores do Operário, vantagens não aplicadas e mais dois lances cruciais, o pênalti marcado a favor do Fantasma aos 35 do primeiro tempo e o gol marcado pelo atacante Marcelo Moreno aos 52 do segundo tempo, que foi anulado.

No lance do pênalti, Cleisson analisou que Eduardo Brock cometeu a falta na área, porém o VAR não poderia ser acionado já que a bola havia sido colocada em jogo, após cobrança de lateral do time visitante:


“O protocolo é muito claro, houve o lance né? A disputa, há sim o toque nas costas do atacante, se é suficiente para derrubar ou não aí é uma outra parte da discussão. Aí vamos lá na questão da intervenção do VAR... Após a falta, a jogada transcorre até sair para a lateral, não precisa de autorização do árbitro para a cobrança do lateral, então fica claro pela imagem que a partida prosseguiu, a bola saiu pela lateral, o atleta do Operário pega e joga, o árbitro não interrompe em nenhum momento, após o reinício do jogo ele é comunicado e paralisa de forma equivocada, o protocolo é muito claro... A marcação do pênalti foi irregular.”


Sobre o gol anulado marcado por Marcelo Moreno, no final da partida, Cleisson avaliou que pelas imagens que teve acesso, não conseguiu identificar com exatidão o toque no braço de Marco Antônio, no entanto, o movimento que o jogador faz com o braço direito aumenta a amplitude da jogada. Sendo assim, a anulação foi correta, na avaliação do especialista de arbitragem:


“Essa é mais uma jogada que não ficou clara, mesmo na transmissão do jogo e você vendo a imagem por alguns ângulos, diversas vezes, há sim de fato o movimento do braço em direção a bola do atleta Marco Antônio, mas pelo menos eu ainda não consegui ver ângulo algum que eu consigo cravar que de fato a bola tenha batido embaixo da manga, porque hoje é uma referência a manga da camisa, a bola bate na manga da camisa não é considerado mão. Bateu abaixo há de se marcar, então é de fato sim, uma jogada polêmica, interpretativa... O braço colado no corpo não se marca, à partir do momento que ele abra um pouco mais o braço, ele está ganhado amplitude né? Ele tá usando de um artifício ilegal para dominar a bola, foi acredito eu, a conclusão que a arbitragem chegou, o movimento do braço foi determinante para a anulação da jogada, nesse lance a arbitragem tomou a decisão correta.”

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais