Cruzeiro

  1. Esporte
  2. Cruzeiro
  3. Com um gol em cada tempo, Cruzeiro vence o Uberlândia e retoma liderança do Mineiro
Imagem: Staff Images

Com um gol em cada tempo, Cruzeiro vence o Uberlândia e retoma liderança do Mineiro

O time celeste conseguiu sua quarta vitória consecutiva na temporada.


Por Guilherme Souza

Em busca da quarta vitória consecutiva no Campeonato Mineiro, o Cruzeiro recebeu o Uberlândia na noite desta quinta-feira, no Independência, no encerramento da sétima rodada. A Raposa venceu com gols de Matheus Bidú e Edu. Nailson descontou para o Uberlândia. Foi a quarta vitória consecutiva da equipe comandada por Paulo Pezzolano na temporada.

Com o resultado, o time celeste recuperou a liderança do estadual, agora com 18 pontos. O Uberlândia é o décimo, com 5 pontos.

No domingo, o Cruzeiro joga mais uma vez no Independência, diante do Villa Nova, às 11h. O Uberlândia jogará na terça-feira (22), às 19h, contra a Caldense, no Parque do Sabiá.

TESTES NA DEFESA E NO MEIO

Na escalação inicial, o uruguaio Paulo Pezzolano definiu a dupla de zaga com Oliveira e Eduardo Brock. No meio, Willian Oliveira recebeu uma oportunidade ao lado de Adriano. O treinador ainda busca a definição do Cruzeiro ideal para a temporada de 2022.

CRUZEIRO SUFOCA UBERLÂNDIA

Com ampla superioridade na primeira etapa, o Cruzeiro empurrou o Uberlândia para o seu campo de defesa e sufocou o adversário. O gol estava maduro e parecia ser uma questão de tempo.

A Raposa pecava no último passe para a definição. Com Waguininho aberto pela direita, o time de Paulo Pezzolano infiltrava na área em busca do artilheiro Edu. A defesa do Triângulo Mineiro afastava do jeito que dava.

Aos dezessete, João Paulo cruzou na área e Waguininho escorou de cabeça na segunda trave, mas a zaga afastou. No lance seguinte, João Paulo arriscou e mandou na rede pelo lado de fora.

A pressão era grande. Aos vinte e três, após belo cruzamento da direita, Waguininho arriscou um peixinho, mas chegou atrasado na bola, que se perdeu pela linha de fundo.

Com a marcação cerrada, Edu tentou encobrir o goleiro aos vinte e seis. João Paulo deixou o atacante em ótimas condições de finalizar, mas o toque por cima saiu a direita do gol após a bola quicar.

Se estava difícil de chegar tocando, o Cruzeiro quebrou a retranca na bola parada. Aos trinta e sete, quando todos esperavam um cruzamento, o lateral-esquerdo Matheus Bidú cobrou falta pela direita e encobriu o goleiro Rafael Roballo.

Após o gol, o Uberlândia tentou responder nos minutos finais da primeira etapa. O centroavante Lucas Coelho arriscou de fora da área, Rafael Cabral pulou, e a bola foi pelo lado esquerdo. Esta foi a única finalização do Periquito no primeiro tempo.   

UBERLÂNDIA CRESCE NO SEGUNDO TEMPO

A etapa final começou com uma grande chance desperdiçada pelo Cruzeiro. Rômulo saiu cara a cara com o goleiro, cortou o marcador e bateu caprichosamente no canto, mas a bola saiu.

Depois do susto, o Uberlândia acordou na partida e se mandou para o ataque. Aos dez minutos, em um belo contra-ataque, o time visitante acertou a trave, e no rebote, o volante Nailson deixou tudo igual.

Mas não deu nem tempo do Uberlândia comemorar. Após a saída de bola, o Cruzeiro desceu, Edu dominou dentro da área e bateu no cantinho para colocar a Raposa novamente em vantagem.

O Uberlândia manteve a postura mesmo com o gol sofrido. O alviverde se tornou um franco atirador no jogo e assustava bastante.

Aos trinta e três, em uma das chegadas, Luanderson recebeu na entrada da área, soltou a bomba e Rafael Cabral não segurou. O goleiro cruzeirense mandou do jeito que deu para escanteio.

Nos acréscimos, após troca de passes entre Fernando Canesin, Vitor Roque e Daniel, o jovem finalizou e exigiu uma grande defesa de Fernando Roballo.

POLÊMICA

Aos quinze minutos do segundo tempo, o Uberlândia reclamou de um toque no braço do zagueiro Lucas Oliveira dentro da área. A arbitragem mandou o jogo seguir. O técnico Paulo Foiani reclamou bastante e recebeu cartão amarelo.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais