Cruzeiro

  1. Esporte
  2. Cruzeiro
  3. Cruzeiro sofre apagão e é derrotado de virada pelo Remo em Belém
Imagem: Staff Images

Cruzeiro sofre apagão e é derrotado de virada pelo Remo em Belém

O time celeste saiu em desvantagem no duelo com o time paraense pela terceira fase da Copa do Brasil.


Por Guilherme Souza

O Cruzeiro saiu em desvantagem no primeiro duelo com o Remo na terceira fase da Copa do Brasil. De virada, a Raposa foi superada por 2x1 no Estádio Baenão, em Belém. Rodolfo abriu o placar, mas Willian Oliveira, contra, e Daniel Felipe decretaram a vitória dos donos da casa.

No sábado, às 19h, a Raposa volta a campo, mas em um compromisso pela Série B. O time celeste visita o Tombense no Estádio Soares de Azevedo, em Muriaé.

PRIMEIRO TEMPO MOVIMENTADO

As duas equipes buscaram o gol na primeira etapa. A metade do jogo foi marcada pela maior posse de bola do Cruzeiro, no entanto, sem muita objetividade.

A grande chance celeste veio aos vinte e três, quando Jajá escorou para Rômulo na área, mas o lateral acertou a rede pelo lado de fora.

No embalo da torcida, o Remo apostava no erro da Raposa. O time da casa avançava em contra-ataques rápidos, principalmente buscando o centroavante Brenner e o velocista Bruno Alves.

As grandes oportunidades do Rei da Amazônia vieram com Ricardo Luiz e Brenner. Primeiro, o lateral soltou uma bomba pegando de primeira da entrada da área, a bola desviou e quase enganou Rafael. Depois, Brenner aproveitou e cabeceou pra fora, com muito perigo.

PEZZOLANO MUDA O TIME NO INTERVALO, CRUZEIRO MELHORA, MAS DEFESA VACILA

O técnico uruguaio voltou para a segunda etapa com Pedro Castro Daniel Júnior nas vagas de Miticov e Waguininho. Com as alterações, o Cruzeiro ganhou velocidade. Logo aos quatro, Jajá invadiu a área, foi derrubado e o árbitro assinalou a penalidade. João Paulo cobrou no canto direito e Vinícius pulou para espalmar.

A melhora do Cruzeiro no jogo era notória. Mesmo com o pênalti perdido, a equipe não se abateu e abriu o placar na sequência. Após bela jogada de Daniel pela esquerda, o meia cruzou rasteiro na área e Rodolfo se atirou na bola, de carrinho, como um legítimo centroavante, colocando o time celeste em vantagem.

Entretanto, quando tudo parecia se encaixar, a defesa celeste acabou sofrendo dois apagões. Aos vinte e cinco, o zagueiro Marlon cobrou falta e o volante Willian Oliveira desviou contra o próprio gol. Sete minutos depois, em uma repetição do gol de empate, emcobrança de falta, Anderson Uchoa desviou de cabeça, e Daniel Felipe completou para o gol.      

Depois dos duros golpes, o Cruzeiro tentou voltar para o jogo. A Raposa ainda desperdiçou duas chances. Marcelinho finalizou firme de esquerda para ótima defesa de Vinicius, o nome do Remo do jogo. E no último lance, João Paulo, de frente para o gol, bateu pra fora.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais