Carregando...

Cruzeiro

Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Em chuva de gols, Cruzeiro e Guarani empatam no Mineirão

Assim como em 2020, as duas equipes protagonizaram uma partida de seis gols.

Por Guilherme Souza

Cruzeiro e Guarani se enfrentaram na noite desta quarta-feira, no Mineirão, pela oitava rodada da Série B. A dose de emoção dos últimos confrontos entre as duas equipes se repetiu. Assim como em 2020, as equipes ficaram no empate em 3x3. Thales, contra, Léo Santos e Matheus Barbosa, anotaram os gols do Cruzeiro. Bruno Sávio, duas vezes, e Régis marcaram para a equipe visitante.

Na próxima rodada, o Cruzeiro vai até Pelotas, no sábado, às 19h, para enfrentar o Brasil. O Guarani receberá o Brusque, às 11h, no domingo, em Campinas.

CHUVA DE GOLS NO PRIMEIRO TEMPO

Se no ano anterior, os confrontos entre a Raposa e o Bugre foram marcados por muitos gols, neste ano não foi diferente. O primeiro tempo da partida foi eletrizante.

Logo aos cinco minutos, após cobrança de escanteio, Bruno Sávio desviou de cabeça e botou a equipe visitante na frente.

O Cruzeiro não se abateu após o gol, e com uma grande atuação de Marcinho, foi em busca da igualdade. Ele mesmo cobrou escanteio e Thales tentou cortar, mas mandou contra o próprio gol. Tudo igual. No lance seguinte, após novo escanteio, e novamente o meia na cobrança, Léo Santos desviou para o fundo das redes. Virada relâmpago do time celeste.

O Guarani sentiu o baque e demorou a se encontrar na partida. Contudo, em um lance de rara felicidade, Bruno Sávio arriscou de fora da área, a bola desviou em Matheus Barbosa e enganou o goleiro Fábio, empatando novamente.

Mas no último lance do primeiro tempo, brilhou a estrela do ‘artilheiro’ Matheus Barbosa. Após bola levantada na área, o volante cabeceou para o chão e tirou qualquer chance de defesa de Gabriel Mesquita.

CRUZEIRO RECUA E SOFRE O EMPATE

Na segunda etapa, o Cruzeiro foi o oposto. A equipe voltou retraída, chamando o adversário para o seu campo de defesa. A Raposa sofreu bastante com as descidas da equipe de Campinas, principalmente nas jogadas construídas pelo meia Régis.

Aos vinte e dois minutos, Mozart promoveu a entrada de Rômulo no lugar de Marcinho. Com isso, a equipe se encolheu ainda mais.

O castigo veio no minuto seguinte. Régis acionou Davó, que devolveu de calcanhar. O meia driblou Léo Santos e tocou com muita categoria na saída de Fábio.

Com as entradas de Giovanni, Airton e Thiago, o Cruzeiro ainda tentou algumas escapadas nos contra-ataques, mas sem sucesso. O Guarani, por sua vez, ainda teve uma grande chance com Allanzinho, que chutou de fora da área para a defesa de Fábio, mandando pela linha de fundo.  

 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais