Carregando...

Cruzeiro

Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Mozart Santos não é mais treinador do Cruzeiro

A informação foi passada pelo diretor de futebol, Rodrigo Pastana, declarando que o treinador pediu demissão do cargo.

Por Vinícius Silveira

Após mais um jogo sem vencer, o técnico Mozart Santos não é mais treinador do Cruzeiro. A informação foi passada depois do empate por 2 a 2 com o Londrina, pelo diretor de futebol, Rodrigo Pastana, declarando que o treinador pediu demissão do cargo. Ainda não há um nome para substituir o treinador.

"Venho aqui depois de mais um resultado que não esperávamos, infelizmente as coisas não estão andando conforme a grandeza deste clube. Conversamos com o Mozart, e ele optou pelo pedido de demissão, para que a gente possa andar por outro caminho na busca de um outro profissional. Esperamos que nós tenhamos melhores resultados daqui pra frente", disse Rodrigo Pastana ao canal oficial do Cruzeiro no YouTube.

Mozart Santos foi oficializado pelo Cruzeiro no dia 10 de junho substituindo Felipe Conceição, que deixou o clube após a eliminação da Copa do Brasil para a Juazeirense. Mozart chegou credenciado pelo bom trabalho exercido no CSA, e pela chancela do diretor de futebol, Rodrigo Pastana, que é profundo conhecedor do expediente do treinador.

Leia mais: Cruzeiro empata com o Londrina no Mineirão

Uma das primeiras ações de Mozart Santos foi retornar com jogadores esquecidos no clube, casos de Marcinho e Ariel Cabral. O treinador estreou no empate com o Goiás, por 1 a 1, na terceira rodada da Série B. A primeira vitória veio na partida seguinte, contra a Ponte Preta, por 1 a 0, no Moisés Lucarelli.

Logo depois, o Cruzeiro perdeu para o Operário, por 2 a 1, e venceu o Vasco da Gama pelo mesmo placar. A partir deste jogo, o time celeste emplacou uma sequência de jogos sem vencer que dura até hoje. São nove partidas, com seis empates e três derrotas. Além da sequência sem vitórias, o trabalho de Mozart Santos ficou caracterizado pelas seguidas formações que eram colocadas e sem repetir os 11 jogadores ou um esquema tático.

Sem Mozart, o Cruzeiro tem para assumir os trabalhos com os jogadores o auxiliar fixo Juliano Belletti. Caso a diretoria celeste não apresente um novo nome, Belletti não tem credenciamento para estar no banco de reservas contra o Brusque, sábado (7), às 11 horas, no Estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina, pois precisa ter, no mínimo, seis meses de trabalho como treinador no clube.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais