Cruzeiro

  1. Esporte
  2. Cruzeiro
  3. Recheado de reservas, Cruzeiro perde para o Patrocinense e enfrentará o Athletic na semifinal
Imagem: Staff Images

Recheado de reservas, Cruzeiro perde para o Patrocinense e enfrentará o Athletic na semifinal

O técnico Paulo Pezzolano escalou uma equipe alternativa em razão da viagem desgastante para Tuntum/MA.


Por Guilherme Souza

Com um time recheado de crias da Toca, o Cruzeiro visitou o Patrocinense neste sábado, no Estádio Pedro Alves do Nascimento, em Patrocínio. Na última rodada da primeira fase do Mineiro, a Raposa foi derrotada pelo Patrocinense por 2x1. Jônatas Obina e Samuel Toscas anotaram os gols dos donos da casa. Adriano diminuiu para a Raposa.

A equipe celeste fechou a fase classificatória na terceira colocação, com 22 pontos. Na semifinal, o Athletic será o adversário do time celeste. O Cruzeiro decidirá fora de casa e precisará vencer pelo menos um dos dois duelos, já que o time de São João Del-Rei jogará por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo de gols.

CRUZEIRO COMEÇA BEM, MAS SOFRE APAGÃO

O Cruzeiro dominou a partida nos primeiros minutos. A Raposa controlava as ações no meio-campo, mas tinha dificuldade no último passe para romper a defesa adversária.

Aos treze minutos, Daniel Júnior chutou forte e o goleiro Jaccson espalmou. No lance seguinte, quase saiu o gol celeste. O Patrocinense saiu jogando errado, a bola sobrou para Giovanni na entrada da área. O meia tentou encobrir o goleiro, mas a bola subiu demais.

O Patrocinense quase não oferecia perigo ao gol do jovem Ezequiel. No entanto, na primeira chegada, aos quarenta e um, após bola cruzada na pequena área, Jônatas Obina, totalmente livre de marcação, botou a Águia Louca em vantagem.

Enquanto a Raposa assimilava o golpe do primeiro gol, Samuel Toscas recebeu, dois minutos depois, na intermediária esquerda, ganhou na velocidade e bateu fraco. Ezequiel tentou defender, mas foi enganado pela bola, que acabou entrando.

Antes da primeira etapa terminar, o time celeste ainda correu atrás do prejuízo. Marco Antônio recebeu o passe após escanteio curto, cruzou na área, a bola foi desviada e bateu no travessão, e Adriano, em cima da linha, apenas completou para o gol.   

SEGUNDO TEMPO MORNO

 As equipes pouco produziram na segunda etapa. A falta de entrosamento prejudicou bastante o rendimento do Cruzeiro.

A grande oportunidade da Raposa foi no primeiro minuto, quando Giovanni, dentro da área no lado direito, bateu forte para o gol, mas para fora.

O Patrocinense se defendeu da maneira que entrou. Os donos da casa se lançaram ao ataque somente na reta final. Aos trinta e nove, Júlio César arriscou de longe, no canto, para a defesa de Ezequiel.

Paulo Pezzolano utilizou a parte final do jogo para oportunizar os atacantes Jhosefer e Marcelinho. Antes, o uruguaio já havia promovido as entradas do zagueiro Weverton, do volante Miticov e do meia Ageu.     

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais