Cruzeiro

  1. Esporte
  2. Cruzeiro
  3. SAF no Cruzeiro: Bruno Volpini fala sobre futuro da Toca da Raposa e projeta próximos passos de Ronaldo
Imagem: Reprodução/98 Live

SAF no Cruzeiro: Bruno Volpini fala sobre futuro da Toca da Raposa e projeta próximos passos de Ronaldo

Na noite desta segunda-feira, foram aprovadas as condições importas por Ronaldo para concluir a compra do clube.


Por Guilherme Souza

Depois da aprovação das condições impostas, com as Tocas I e II fazendo parte da Sociedade Anônima do Futebol, Ronaldo corre contra o tempo para concluir o processo de compra do Cruzeiro, assinando efetivamente a aquisição de 90% das ações da SAF.  

Bruno Volpini, advogado que participou de todo o processo de transição do clube celeste para a SAF, foi o entrevistado do 98 Esportes nesta terça-feira. Volpini detalhou todo o processo e avaliou os próximos passos do Fenômeno após a votação favorável.

“Nós estamos quase concluindo o negócio. Ontem, foi um passo importante, uma condição nova, que não estava na mesa quando o negócio chegou para o Cruzeiro, que era um pedido de recuperação judicial ou extrajudicial pela associação, e a questão envolvendo a transferência da propriedade ou o uso das Tocas. Após a entrada do time do Ronaldo para a análise das condições financeiras da associação. Viu-se que, diante do que estava proposto, que era a assunção de dívidas, o investidor estaria mais blindado aos problemas financeiros do clube, se houvesse o pedido de uma recuperação extrajudicial ou judicial”, explicou Bruno Volpini.

Sobre a declaração do presidente Sérgio Santos Rodrigues, na semana passada, sobre a Toca da Raposa II não pertencer ao Cruzeiro, Volpini explicou.

“Acho que o que ele quis dizer, quando ele diz que a Toca não é do Cruzeiro, é porque ali é um conjunto de lotes, um conjunto de matriculas, e nem todas as matrículas estão registradas em nome da associação. Existe uma discordância de alguns, porque a posse já exercida pelo Cruzeiro, de forma mansa e pacifica por mais de vinte anos. Então, se houvesse uma discussão jurídica acerca dessa questão, o Cruzeiro poderia invocar para si usucapião em defesa.  Mas o que se tem de verdade, é a falta de registro em nome da associação da totalidade de imóveis, dos terrenos que compõem a Toca II. O que se pretende agora, através deste negócio que está sendo feito com o Ronaldo, é regularizar essa situação registral, para que possa ser transferido para a propriedade da SAF a Toca II e a Toca I ”, concluiu Volpini. 


Confira a entrevista na íntegra



Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais