Carregando...

Esporte Nacional

Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Anvisa libera cronologia das ações em torno do jogo entre Brasil x Argentina

Entre as palavras e os atos relatados, constam prestação de informação falsa por parte dos quatro jogadores argentinos e até obstrução na ação do órgão na Neo Química Arena, local da partida.

Por Vinícius Silveira

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a cronologia dos acontecimentos que culminaram na suspensão do jogo entre Brasil e Argentina, domingo (5), na Neo Química Arena.

Na linha cronológica do ocorrido, que teve começo na quarta-feira (1), a Anvisa declarou o recebimento das declarações sanitárias de Emiliano Buendía, Emiliano Martinez, Giovani Lo Celso e Cristian Romero.

Já na sexta-feira (3), havia a suspeita de que as informações passadas pelos quatro jogadores seriam falsas e preenchidas por uma pessoa ligada a Associação de Futebol da Argentina (AFA). Com a suspeita, foi pedida a investigação do caso.

No sábado (4), véspera da partida, foi confirmada a entrada dos quatro jogadores argentinos sem a prestação de informações verídicas.

Anvisa confirma que houve a prestação de informações falsas em formulário eletrônico. Em reunião com representantes do Ministério da Saúde, equipe técnica da Vigilância Epidemiológica e Sanitária, Coordenação de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, representantes da Conmebol, CBF e delegação da Argentina, a Agência recebeu a confirmação definitiva de que a Secretaria de Saúde de SP determinou a quarentena dos quatro jogadores na mesma data, pela manhã, e de que as informações prestadas nas DSVs eram inverídicas. A equipe estadual da Vigilância em Saúde solicitou ao representante da seleção argentina que os quatro atletas se apresentassem portando os referidos passaportes, fato que não foi possível, pois houve o descumprimento pela seleção argentina da recomendação da autoridade sanitária de permanência no hotel.”, diz a cronologia da Anvisa.

No domingo (5), dia do jogo, mesmo com as orientações de que os atletas teriam que ficar em quarentena no hotel, as ordens foram descumpridas pela delegação argentina, com todos saindo do hotel em que estavam hospedados e seguindo para a Neo Química Arena. Uma hora antes de a partida começar, a Anvisa e a Polícia Federal seguiram para o local da jogo para entregar as notificações sanitárias, havendo “obstrução” para a entrega.

Anvisa e Polícia Federal chegam à arena Neo Química para entregar as notificações sanitárias* aos quatro jogadores, havendo obstrução para sua entrega. O recebimento das notificações foi recusado pela equipe da Argentina, tendo como testemunha a Polícia Federal”.

Por fim, após o ocorrido, a Anvisa e a Polícia Federal chegaram ao Aeroporto de Guarulhos.

Anvisa e Polícia Federal chegam ao Aeroporto de Guarulhos e os policiais federais que acompanharam toda a ação assinam as notificações como testemunhas da recusa de recebimento. Uma via foi entregue à Polícia Federal, como estipulado no §7º do Artigo 7º da Portaria 655/21 para abertura de inquérito em atenção ao estipulado na referida Portaria”.

Segue abaixo a cronologia completa dos atos

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais