Carregando...

Esporte

Imagem: Igor Sales/Cruzeiro

Fora de casa, Cruzeiro leva gol no final e perde para o Operário

Com um jogador a menos desde o primeiro tempo, o time celeste foi derrotado por 2x1.

Por Guilherme Souza

Operário e Cruzeiro entraram em campo na noite deste sábado, no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grosa/PR. Com gols de Paulo Sérgio e Djalma Silva, o time paranaense venceu por 2x1. O gol do time mineiro foi anotado pelo atacante Felipe Augusto.

O Cruzeiro entrará em campo na próxima quinta-feira, às 21h30, com o Vasco, no Mineirão. O Operário visita a Ponte Preta, em Campinas, às 19h, na terça-feira.


CRUZEIRO SE SUPERA NO PRIMEIRO TEMPO

A primeira etapa foi comprometida pela qualidade do gramado do Estádio Germano Krüger, que foi duramente castigado pelo período de chuvas na cidade paranaense.

Com a formação inicial com três zagueiros, Rômulo ganhou liberdade para virar um ala pela direita.

A primeira chance da partida foi com Marcinho, apenas aos vinte e sete minutos, em um chute forte de fora da área, que se perdeu pela linha de fundo. Entretanto, no minuto seguinte, a Raposa levou um duro golpe. Weverton deu uma entrada no volante Vilela e foi expulso direto.

Assim que a partida foi reiniciada, o Operário aproveitou o momento de distração do Cruzeiro e abriu o placar. Após levantamento na área em cobrança de falta, Pedro Ken cabeceou na trave. No rebote, Paulo Sérgio, de bicicleta, mandou para o fundo das redes.

Contudo, o Cruzeiro reagiu rápido. Antes do fim da primeira etapa, após ótima jogada individual de Bruno José, a bola bateu na defesa do time da casa, e sobrou para Felipe Augusto, que aproveitou o goleiro Thiago Braga no chão e mandou para o gol.

 

CASTIGO NO FINAL

Com um jogador a menos e com a igualdade no marcador, o time celeste voltou para a segunda etapa adotando uma postura defensiva. Contudo, a Raposa apostava em contra-ataques rápidos para tentar virar a partida.

A partida caminhava para o empate. As equipes pecavam no setor de criação.

Sem espaço pelo meio, o lateral-esquerdo Djalma Silva resolveu arriscar de muito longe. A bola fez a curva e Fábio, que ia para o sentido contrário, tentou voltar, mas acabou escorregando. Era tarde demais, Operário na frente novamente.

Nos acréscimos, após cobrança de escanteio, Ramon cabeceou e os jogadores do Cruzeiro reclamaram bastante de um possível pênalti. A arbitragem mandou seguir.

 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais