Carregando...

Esporte

Justiça suspende realização de Assembleia Geral no Cruzeiro

A Assembleia estava marcada para os dias 27 e 28 de novembro, onde apreciaria e votaria o novo estatuto do Cruzeiro

Por Vinícius Silveira

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

A Assembleia Geral no Cruzeiro que iria apreciar a votar o novo estatuto do clube foi suspensa após ação movida por conselheiros do clube. A decisão foi deferida parcialmente em primeira instância e cabe recurso. A reunião estava marcada para acontecer entre os 27 e 28 de novembro.

De acordo com o processo, os conselheiros que deram entrada na tutela de urgência alegam que:

Alegam que o edital de convocação da AGE é vago, já que não discrimina regras relacionadas às formas de participação e de votação, qual programa eletrônico deverá ser acessado para deliberar e qual a sua forma de utilização, o que contraria o estatuto social do clube.

Sustentam que está prevista a participação de aproximadamente três mil associados.

Alegam vício na convocação, ausência de confiabilidade e transparência, bem como não há previsão expressa de Assembleia Geral Extraordinária no estatuto social do réu.

Aduzem que a realização da AGE, em ambiente virtual, prejudicará inúmeros associados”.

Os autores da ação ainda pediram a suspensão da Assembleia Geral Extraordinária, lutam pelo adiamento da reunião por 180 dias, e também o impedimento da realização do evento de forma virtual.

O juiz da 10ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte, Luiz Gonzaga Silveira Soares deferiu parcialmente pela tutela provisória de urgência, “até que o réu demonstre o cumprimento dos requisitos determinados acima, bem como estabeleça mecanismos afins, com o objetivo de garantira justa realização da Assembleia Geral”.

No entanto, no pedido dos autores que contestam a realização de audiência virtual, a decisão do juiz compreende que não existem motivos para a reunião não acontecer de forma virtual. Entretanto, conforme cita o processo: “os associados devem ter oportunidade de conhecer, estudar e aprender, com período de razoável antecipação, a forma como as condições de votação serão realizadas em meio virtual, tais como: qual software será utilizado para realização da reunião; qual software será utilizado para apuração dos votos; por qual modo será garantido que o voto seja secreto, pessoal e intransferível; quais os sistemas eletrônicos serão responsáveis por evitar fraudes na deliberação, dentre outros”.

E ainda menciona como justificativa para a realização virtual a pandemia do coronavirus, que já matou mais de 150 mil pessoas e infectou milhões de pessoas no país.

A reportagem da 98 procurou o clube celeste e aguarda um posicionamento do Cruzeiro.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais