Carregando...

Esporte

No Rei Pelé, Cruzeiro e CRB empatam sem gols

Cruzeiro não repetiu a mesma atuação dos dois últimos jogos, contra América e Brasil de Pelotas. O time celeste vai buscar os três pontos contra o Vitória, no Barradão.

Por Vinícius Silveira

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

CRB e Cruzeiro empataram sem gols, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, valendo pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado não foi bom para os dois times. O time celeste pode terminar a rodada como começou: 11º lugar, com 35 pontos. Somente o Brasil de Pelotas, que enfrenta o Náutico, amanhã, pode ultrapassar os cruzeirenses, pois tem 33 pontos. Já a equipe alagoana dorme na 13º, com 34.

O Cruzeiro segue jogando fora de casa e irá enfrentar o Vitória, sexta-feira (11), às 21h30, no Barradão, em Salvador.

OS DOIS TIMES DEIXARAM O GRAMADO ZERADOS

Na etapa inicial, o Cruzeiro entrou com a mesma postura tática que adotou nas duas últimas partidas. Tendo três volantes, sendo Filipe Machado mais adiantado, Welinton e Arthur Caíke pelos lados do campo e Rafael Sobis centralizado. Já o CRB apostou na posse de bola, troca de passes e avanço pelos lados, principalmente, pela esquerda.

Na teoria, tudo poderia dar certo, mas não foi bem assim. O CRB teve a maior posse de bola, fez boa variação em campo, porém, não resultou em gols. Já o Cruzeiro pouco criou, deu espaços no setor de marcação e fez o goleiro Douglas Borges trabalhar apenas uma vez.

A melhor chance do CRB foi com Bill, aos 26 minutos. Após o toque de calcanhar de Lucão do Break, Luiz Paulo recebeu e a bola para trás. Bill chegou finalizando e pegou muito mal.

Já o Cruzeiro teve a melhor chance minutos depois, aos 32 minutos. Rafael Sobis cruzou a bola na diagonal. Arthur Caíke chegou frente a frente com o goleiro Douglas Borges e finalizou pela linha de fundo.

EQUIPES CAEM DE PRODUÇÃO E TERMINAM EMPATADOS

Para quem esperava que o jogo fosse melhorar e os dois times balançarem as redes, enganou-se inteiramente. Ambos caíram de produtividade, com muita posse de bola, mas pouca efetividade.

O técnico Felipão ainda apostou na mudança tática, tirando um atacante e colocando um meia de criação, deixando o meio-campo com três volantes e camisa 10. Mesmo assim, os erros de passes aconteciam frequentemente, e o pouco avanço dos laterais, principalmente, no lado esquerdo, tornava o jogo do Cruzeiro pouco efetivo.

Já o técnico Ramon Menezes apostou em mudanças mais conservadoras, acreditando na melhora técnica do time. Porém, não trouxe problemas para Fábio e ainda perdeu a grande chance da partida. Hyuri recebeu passe de Wesley e deixou Diego Torres livre para finalizar, mas o meia tropeçou em cima da bola.

Nos minutos finais, aparentando estarem conformados com o empate, os dois times se resguardam na defesa, com muita marcação e avanços ofensivos muito burocráticos. O resultado de empate assinou um jogo ruim feito pelas duas equipes. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais