Carregando...

Esporte

Prestigiado pela diretoria alvinegra, Cuca é apresentado no Atlético

O treinador revelou qual será o estilo de jogo da equipe e destacou a importância de definir o quanto antes um time titular.

Por Thais Santos

O técnico Cuca foi apresentado nesta terça-feira, no período da tarde, na Arena MRV, onde foi recepcionado pelo presidente do Atlético, Sérgio Coelho, o diretor de futebol Rodrigo Caetano e pelo novo gerente de futebol e ídolo alvinegro, o ex-goleiro Victor. No início de seu discurso o presidente do clube destacou que o nome de Cuca foi unanimidade no departamento de futebol e entre os parceiros e investidores do Atlético. Além disso, o mandatário alvinegro ainda disse que faria todo o possível para fazer para Cuca e pelo time tudo que for necessário para a conquista de grandes resultados, ressaltou que o Galo tem a ambição de disputar todos os títulos e jogou a responsabilidade para o treinador:


"Agora, a sua responsabilidade é grande, você é o homem que carrega nas costas a responsabilidade, mas eu acho que ela te ficou maior porque é quase a massa toda te apoiando e muito particularmente eu por admiração que eu tenho a você, pela sua fé, pela sua dedicação ao trabalho, pela pessoa que você é e também como treinador que nos deu o título dos mais importantes que a gente tem". (Sérgio Coelho)


Cuca chega ao Atlético pela segunda vez, após uma passagem brilhante pelo clube de 2011 à 2013, conquistando o bicampeonato mineiro de 2012 e 2013 e a lendária Copa Libertadores pela equipe que contava com Ronaldinho Gaúcho, Bernard, Victor, Diego Tardelli, Léo silva e outros nomes.

Na coletiva de imprensa o treinador falou sobre seu estilo de jogo, deixando claro que o Atlético será um time ofensivo:


“Aquele Atlético de 2012 e 2013 era um time que jogava bonito. Jogava um jogo fino. Uma equipe leve, que sabia jogar e também sabia, em alguns momentos, aproveitar do jogo aéreo, que também é fundamental. Acho que todo torcedor do Galo tem saudade da maneira como aquele time jogava. Quanto mais no ataque você jogar, maior o risco de exposição defensiva. Isso acontece com o Galo e com qualquer outra equipe. Vai acontecer comigo também, pode ter certeza. Tomara que num número menor, mas vai acontecer uma exposição, porque a gente busca jogar no ataque”.


Cuca também fez um comparativo do seu trabalho com o do técnico Jorge Sampaoli:


“Eu tenho meu estilo de jogo. Sempre tento por a equipe o mais à frente possível com organização. O Sampaoli também é assim. Mas cada um tem uma maneira tática de jogar. Ele tem diversas maneiras. Eu gosto também muito do plano tático. Temos um time recheado de bons jogadores. O desafio é extrair o máximo de cada jogadores”.


Ao contrário do sistema de rodízio adotado por Sampaoli, o novo treinador atleticano destacou que para ele é importante haver uma definição do time titular:


"Eu pretendo num curto tempo poder avaliar grande parte do elenco, poder definir um time titular, poder definir quem luta com quem e pelo quê, como eu já falei, porque o jogador precisa disso né? E com o tempo eles serem os próprios fiscais do dia-a-dia né? Eu sempre me comprometo em cada clube que eu passo, de colocar em campo aqueles que desempenham o melhor nos treinamentos, nos jogos e vai ser assim aqui também".


O atlético conta hoje com cerca de 40 jogadores no elenco, incluindo os atletas formados nas categorias de base e os que estavam no grupo de transição. Sobre essa questão, Cuca defendeu a importância de enxugar o time:


"Em um trabalho bem desenvolvido, você não vai ter como contentar todos os jogadores e o trabalho não vai ser de excelência né? Então você tem que diminuir esse número de jogadores e lógico que você tem alguns jogadores que você tem que emprestá-los, as vezes eles pegam um corpo para voltarem ou às vezes nem voltarem, são vendidos por alguns clubes e não tem outra saída a não ser você baixar o número de jogadores para ter um trabalho mais bem dirigido".

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais