98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Após reunião, Kalil diz que ainda não há data para reabertura do comércio em BH

Após reunião, Kalil diz que ainda não há data para reabertura do comércio em BH

Kalil, no entanto, disse que está mais otimista em relação aos indicadores da Covid-19 na capital mineira: "Estamos começando a ver uma luz no fim do túnel"

Por Fernando Motta e João Henrique do Vale - Cidades30/07/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Após reunião na tarde desta quinta-feira (30) com entidades que representam o comércio de Belo Horizonte, o prefeito Alexandre Kalil, disse que ainda não há data definida para a reabertura do comércio na cidade.

Kalil, no entanto, disse que está mais otimista em relação aos indicadores da Covid-19 na capital mineira. “A partir desta semana começamos com números mais animadores. Volto a pedir a colaboração da população porque tem muito funcionário e empresário sofrendo. Estamos começando a ver uma luz no fim do túnel”, avaliou o prefeito.

Nesta sexta-feira (31) haverá uma nova reunião do comitê de enfrentamento da Covid-19. O presidente do Sindicato de Lojistas de Belo Horizonte (Sindilojas-BH), Nadim Donato, a expectativa é de que um retorno sobre o assunto seja dado após este encontro. "Eles não falaram pra gente o que vão anunciar amanhã", disse Donato.

Donato destacou que o setor precisa de uma reabertura o mais rápido possível e que o comércio entende que há a necessidade de "abrir todos juntos". Segundo ele, mais de 50% dos funcionários foram demitidos. Segundo ele, o setor irá voltar com um efetivo entre 30% e 50% dos funcionários.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de BH e Região Metropolitana (Sindhorb), Paulo Pedrosa, disse que BHTrans está mapeando cerca de 70 pontos para fechamento de vias onde haja maior concentração de bares e restaurantes. Ele disse que saiu da reunião "muito otimista em relação à reabertura para semana que vem".

"A solicitação nossa é de quinta a domingo. Se não for possível atender bares e lanchonetes, nós sugerimos abrir os restaurantes, até pela aproximação com os Dia dos Pais", disse.

Shoppings

O presidente do AlôShopping, Associação dos Lojistas de Shoppings Centers, Marcelo de Oliveira Nunes da Silveira, afirmou que espera uma sensibilidade maior por parte da prefeitura com o setor. "Temos folhas de pagamentos com fornecedores para honrar, assim como salários. Não temos condições de manter funcionários. Muitas lojas vão fechar", disse, após encontro com o prefeito Alexandre Kalil.

De acordo com Marcelo Silveira, demissões estão acontecendo e lojas foram fechadas durante a pandemia. "O que nós temos é 70% de funcionários de shoppings demitidos. Em vários shoppings lojas foram entregues. Não dá para falar de números pela diferença e particularidade de cada centro de compras. Mas, a crise no setor é muito grave", ressaltou. 

Insatisfação

Por meio de nota, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) lamentou o fato de representantes da entidade não serem convidados para a reunião e cobrou uma data para a reabertura do comércio.

"A gente não lamenta a intransigência e o autoritarismo do prefeito, que não aceita dialogar com quem tem divergências e opiniões contrárias às dele. O que a gente lamenta mesmo é que mais uma vez ficamos sem resposta para uma pergunta que milhares de pessoas em nossa cidade - principalmente empreendedores que estão já no limite de suas forças para manter os seus negócios e trabalhadores que já perderam seus empregos ou estão prestes a perder - querem saber: quando vamos reabrir o comércio?”, afirmou a CDL.