98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Bombeiros acreditam que incêndio na Serra do Cipó tem origem criminosa

Bombeiros acreditam que incêndio na Serra do Cipó tem origem criminosa

Ações dos bombeiros no local são dificultadas pelo relevo da região, pelo vento intenso e pela temperatura, que favorecem a propagação do fogo

Por Da redação - Cidades01/10/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O combate às chamas no Parque Nacional da Serra do Cipó, na Região Central de Minas Gerais, já dura cinco dias. O fogo segue descontrolado. Mais de 83 pessoas, entre militares, brigadistas e voluntários, participam dos trabalhos em quatro frentes. Aeronaves também estão sendo usadas.

O tenente Pedro Aihara conversou com o Rock News na tarde desta quinta-feira (1º) e disse que acredita que as causas tenham sido criminosas. "Infelizmente, 99% deste tipo de incêndios florestais são provocados por ações criminosas", disse. 

Os focos estão sendo combatidos em quatro diferentes locais: na Serra da Caetana e Confins, dentro do Parque Nacional, e duas frentes nos limites do parque.

Participam do combate, 24 bombeiros militares, 6 policiais militares, 51 brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e dois voluntários. Duas aeronaves auxiliam nos trabalhos.

Segundo Aihara, as ações são dificultadas pelo relevo da região, pelo vento intenso e pela temperatura, que favorecem a propagação do fogo. "O combate tem que ser manual e é muito cansativo. São locais que não têm acesso por estradas, então os militares têm de ser posicionados pelo helicóptero ou então fazer uma longa caminhada até o local", explicou o tenente.