98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Comércio em BH será reaberto na quinta-feira

Comércio em BH será reaberto na quinta-feira

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, o prefeito Alexandre Kalil anunciou a flexibilização na capital mineira

Por João Henrique do Vale e Carol Torres - Cidades04/08/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O comércio de Belo Horizonte poderá reabrir a partir desta quinta-feira. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo prefeito Alexandre Kalil em entrevista coletiva. Ele ressaltou que a guerra ainda não acabou e pediu ajuda da população, para manter o distanciamento social e seguir com a utilização de máscaras. Ressaltou que não tem medo de voltar a fechar os estabelecimentos caso os números piorem.

Poderão reabrir shoppings e lojas. "Vamos flexibilizar de acordo com os protocolos que foram colocados ontem, para o Sindilojas. A abertura será feita nesta quinta-feira, com horário pré-determinado. Uma forma de ajudar, uma forma do comércio pegar o dia dos pais. Quinta, sexta, e sábado ficarão abertos. Fechamos domingo, segunda e terça", afirmou Kalil.

O prefeito ressaltou que a população deve continuar tomando as medidas de higienização e distanciamento social. "A pandemia não passou a guerra não acabou", afirmou. "Não tem festa, estamos tendo uma chance e vamos nos agarrar nessa chance com muita seriedade", completou o prefeito. 

Atividades autorizadas a funcionar na fase 1:

  • Comércio varejista não contemplado na fase de controle (fase 0)
  • Comércio atacadista da cadeia do comércio varejista
  • Cabeleireiros, manicures e pedicures
  • Shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas
  • Atividades no formato drive-in

Nova metodologia para índice de ocupação de leitos

O secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, afirmou que, a partir de hoje, o índice de ocupação de leitos na capital vai levar em conta as vagas disponíveis na saúde suplementar (rede privada), tanto para leitos de enfermaria quanto para leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

"Não há porque considerar somente leitos SUS, sendo que metade da população não usa esses leitos. Não vamos excluir por nossa conta esse leitos (privados). A partir do momento que não temos acesso da rede privada, temos que considerar (leitos privados), porque metade da população tem acesso ele", afirmou o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.

De acordo com o secretário, somente hoje a prefeitura teve acesso ao número de leitos disponíveis na rede privada de saúde, o que vai permitir a mudança na metodologia.