98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Funcionários fazem ato e denunciam situação precária no Hospital João XXIII

Funcionários fazem ato e denunciam situação precária no Hospital João XXIII

Trabalhadores protestam na manhã desta terça-feira na porta da unidade de saúde

Por João Henrique do Vale - Cidades13/10/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Enfermeiros e técnicos de enfermagem fazem um ato, na manhã desta terça-feira. Os trabalhadores estão denunciando a situação precária vivida no Hospital João XXIII. Entre as denúncias, está a superlotação. Pacientes, segundo a Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais (Asthemg), estão sendo atendidos nos corredores da unidade.

De acordo com a entidade, os enfermeiros e técnicos de enfermagem que renderiam o plantão dos trabalhadores da noite, se recusam a entrar no hospital.

Eles reclamam da superlotação. Uma ala da unidade de saúde teria sido fechada, o que levou os pacientes a serem atendidos nos corredores. Os trabalhadores denunciam que até mesmo transfusão de sangue está sendo feita em pacientes fora das salas. A situação se repete deste agosto. Os funcionários também cobram a reposição de materiais, como lençóis e macas.

FHEMIG se pronuncia

Procurada pela Rádio 98, a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) informou que, "até o momento, não foi notificada pela Asthemg sobre o movimento. O Hospital João XXIII também não foi informado sobre a manifestação e não teve conhecimento das denúncias. A Fhemig mantém o diálogo com os representantes dos sindicatos periodicamente e, até o momento, as reivindicações apontadas não foram informadas. Assim que houver a notificação a Fhemig irá apurar as denúncias e providenciará as respostas cabíveis".

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.