98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Governo estima que obras do Rodoanel sejam concluídas em 2027

Governo estima que obras do Rodoanel sejam concluídas em 2027

Três alças devem ser finalizadas em 2026, mas alça Sul levará pelo menos mais um ano. Projeto será feito por Parceria Público-Privada (PPP) e cobrança de pedágio será feito de acordo com a quilometragem percorrida

Por Fernando Motta - Cidades09/02/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

As obras do Rodoanel na Região Metropolitana de Belo Horizonte, idealizadas para desafogar o trânsito no Anel Rodoviário, deverão estar totalmente concluídas em 2027, de acordo com a previsão do Governo de Minas. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, revelou detalhes do projeto.

Três alças - Sudoeste, Oeste e Norte - deverão estar prontas em 2026, mas a alça Sul levará pelo menos mais um ano.

As alças Oeste e Norte irão passar por Betim, Contagem, Ribeirão das Neves e Sabará.

Já as alças Sudoeste e Sul beneficiam diretamente região afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho e retiram a necessidade da utilização do Anel Rodoviário em Belo Horizonte, em especial da região do Betânia, palco de acidentes graves nas últimas semanas.

A alça Sul, que terá 17 km, do ponto de vista ambiental é a mais sensível. Segundo o secretário, 40% dela será composta por túneis e viadutos.

Fases

Atualmente, o projeto encontra-se em fase de consulta pública. Os documentos estão abertos a qualquer cidadão durante 45 dias. Acabada essa fase, será feita uma compilação das observações e produção do edital definitivo. A estimativa de publicação é no meio do ano.

Durante três meses, as empresas poderão estudar o projeto para fazer as propostas. O secretário diz que a intenção é de que o vencedor seja chamado para assinar o contrato no fim do ano.

Ele diz que o licenciamento ambiental já está em curso e o vencedor o encontrará em processo avançado. No entanto, os procedimentos serão concluídos em conjunto, o que leva em média dois anos. A partir disso, poderão ser iniciadas as obras.

"Dado o histórico dos projetos no país, a gente até está fazendo em um prazo bastante curto", avalia.

Segundo Marcato, com a conclusão do projeto, o Anel Rodoviário passará a ser uma pista urbana e o Rodoanel será usado para escoamento logístico da produção.

Parceria Público-Privada

O projeto será estruturado como uma PPP (Parceria Público-Privada). O contratado irá fazer o licenciamento em parceria com Estado, depois fará as desapropriações e construções. A empresa poderá operar a rodovia durante 30 anos.

Tarifas de pedágio

O secretário explicou que a rodovia terá um sistema de tarifa inovador. O método é chamado de "Free Flow" (Fluxo Livre). Não haverá praças de pedágio.

"Essa vai ser a primeira rodovia 100% pague o quanto se usa. Acabou essa história de quem anda 1 km paga R$ 10 e quem anda 10 km também paga R$ 10", explica.

A utilização da via será monitorada e o valor a ser pago será gerado em um site ou aplicativo. O usuário terá até 5 dias para acessar o sistema e fazer o pagamento.

O pagamento também poderá ser feito por tags, como o Sem Parar.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.