Carregando...

Cidades

MPMG afirma que 33,65% dos detentos liberados na pandemia cometeram crimes

Foram liberados 12.385 detentos dos presídios mineiros entre março e dezembro de 2020

Por João Henrique do Vale

Mais de 4,1 mil detentos que foram liberados entre março e dezembro de 2020 em razão da pandemia de Covid-19 voltaram a cometer crimes no território mineiro. O levantamento foi feito pelo Ministério Público de Minas Gerais e divulgado nesta quinta-feira. 

 Entre 16 de março e 31 dezembro de 2020, 12.385 detentos foram liberados, após portaria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e do Poder Executivo Estadual. Presos em regime aberto e semiaberto, passaram a cumprir prisão domiciliar. Além disso, internos que se enquadravam no grupo de risco definido pelo Ministério da Saúde passaram a cumprir medidas alternativa. 

O levantamento do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Criminais (Caocrim), apontou o registro de 11.082 ocorrências policiais envolvendo 33,65% dos presos liberados. 

Dos detentos que cometeram crimes, 55,54% se envolveram em mais de uma ocorrência. Os novos crimes ocorreram em 450 municípios distintos, o que indica que 52,94 % dos municípios mineiros foram afetados pela soltura dos presos.

Entre os crimes registrados, foram 687 em contexto de violência doméstica, sendo 236 ameaças, 162 agressões, 148 lesões corporais, 39 descumprimentos de medida protetiva de urgência, três estupros de vulneráveis, dois homicídios, um estupro, entre outros.

O levantamento indica que foram registrados 123 homicídios e 77 tentativas de assassinatos. 

Infectados na prisão 

O estudo feito pelo MPMG indicou, ainda, que 4.335 detentos que não foram liberados testaram positivo pela Covid-19. Nove morreram. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais