98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. “Não destrua nossa gastronomia”, diz chef Leo Paixão em desabafo no Instagram

“Não destrua nossa gastronomia”, diz chef Leo Paixão em desabafo no Instagram

Proprietário do restaurante Glouton criticou medida da PBH que suspende venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes da capital

Por Lucas Rage - Cidades05/12/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O renomado chef belorizontino Leonardo Paixão usou suas redes sociais para desabafar sobre a Lei Seca imposta pela Prefeitura de Belo Horizonte, e que entra em vigor na próxima segunda-feira (05).

Em um post em seu Instagram, Paixão — que é proprietário do restaurante Glouton — criticou a medida imposta pelo prefeito Alexandre Kalil, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos bares e restaurantes de BH.

“Somos o setor mais castigado pela nossa prefeitura. Neste momento em que caminhamos para a Lei Seca, já sofremos uma série restrições, dentre as mais severas: horário de funcionamento reduzido; espaçamento aumentado e limite de 4 ocupantes por mesa. Justo, pela segurança dos clientes.

Vamos fazer uma continha. No Glouton tínhamos 110 lugares , hoje tenho 60. Fazia giro 2, hoje faço giro 1.2. Só aí tive uma diminuição de 60% nas vendas. Como 1/3 de nossa venda é de bebida, com a nova medida, nosso encolhimento passa a 75%. Ou seja, temos a possibilidade de vender 25% do que vendíamos antes. Garçons vivem quase só dos 10% deste valor. Imagina como fica”, diz Paixão, no desabafo.

O chef aproveitou a postagem para anunciar ainda o fechamento temporário do Nicolau Bar da Esquina, do qual também é dono. O Mina Jazz Bar, empreendimento previsto para abrir este mês em parceria com Gabriel Azevedo, teve sua abertura adiada por tempo indeterminado.

O empresário se mostrou empático às medidas restritivas impostas na capital, em face ao aumento de casos de Covid-19 no município. Entretanto, Léo Paixão questionou a postura unilateral das medidas tomadas.

Centro da cidade cheio, ônibus lotados, comércio rodando à mil, véspera de natal. Seria minimamente razoável a prefeitura impor restrições a toda a economia. Contudo, existe um setor mais fraco e desorganizado. Do qual muitos não respeitaram as medidas. Não os julgo, estão tentando sobreviver ao tsunami. Ao invés de fiscalizar e aplicar as medidas cabíveis, a prefeitura optou por punir a todos: certos e errados. Um jato de mangueira em quem está afogando, declarou.

Paixão finaliza o desabafo com um prognóstico pessimista para o setor gastronômico da capital, fruto do que ele chama de “golpe impiedoso” da prefeitura. “Muitos de nós não se levantarão após mais esta queda. Desemprego e miséria resultará desta decisão. A nós, só nos resta torcer e esperar que um lapso de bom senso guie a mente deste prefeito para que não destrua nossa preciosa gastronomia Belorizontina”.

Leia o desabafo completo aqui

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.