98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Pais de alunos pedem volta às aulas em escolas municipais de BH

Pais de alunos pedem volta às aulas em escolas municipais de BH

Grupo protestou em frente ao Colégio Marconi, na manhã desta segunda-feira (19)

Por Lucas Rage - Cidades19/04/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Pais da rede municipal de ensino pedem que educação seja prioridade na retomada de atividades em BH. Ato acontece em frente à Escola Municipal Marconi, no Gutierrez.

A manifestação é coordenada pelo grupo Juntos Pela Educação, que pede ainda o retorno às aulas pelo prefeito Alexandre Kalil. Os pais solicitam ainda a organização da estrutura e orçamento, para que as instituições retomem as atividades com segurança.

“Fomos surpreendidos com a interrupção das aulas. Ela foi necessária para entendermos o que está acontecendo, mas infelizmente ficamos parados no tempo”, afirma Rodrigo Marçal, do grupo Pais Pela Educação Pública BH, que participa do protesto. Ele é pai de Estêvão e Arthur (15), e Rebeca (14), todos alunos da rede pública de ensino.

“Nós não temos em Belo Horizonte uma estrutura na escola pública para poder suportar essa transição. O estado e o município não conseguiram ter uma interação a contento, sabe?”, continua.

Marçal vê com ceticismo o possível anúncio de volta às aulas pelo prefeito Alexandre Kalil, previsto para esta segunda-feira (19). “Nós estamos meio que desconfiados, porque ele [Kalil] já fez promessas e não as cumpre. Nosso objetivo é continuar cobrando pra que tenha um retorno presencial, seguro, porque isso é possível, está acontecendo em dezenas de países, né?”, afirma.

“E isso está acontecendo aqui em Minas Gerais, em Belo Horizonte nós temos aí uma escolas infantis estão funcionando, seguindo protocolo rígido, sem problema”, completa.

Segundo ele, seguir os protocolos sanitários é a principal arma para uma retomada segura. “[A Covid] é uma uma doença perigosa, oferece risco, mas existem protocolos e a gente tem que colocar isso na nossa rotina, porque não é a primeira vez aconteceu e não vai ser a última”, analisa. “Então nós temos que colocar esse comportamento de proteção na nossa cultura e atitude, né? Da Prefeitura, não tem sido essa [a atitude]

O organizador do grupo ainda questionou reclamações recorrentes na pandemia, como a questão do transporte público de BH. “Poxa vida, olha que falta de respeito. E como é que vai as pessoas podem pegar ônibus, podem ficar abarrotados hoje? Não podem pruma sala. Onde é um ambiente controlado, supervisionado, entende?”, finaliza.

Ensino privado também pede retomada

Os pais de alunos da rede privada de ensino também se manifestaram pela retomada do ensino na capital. Segundo Paula Vidigal, organizadora do movimento Pais Pela Educação, as escolas particulares estão prontas para reabrir suas portas.

“As escolas particulares estão prontas para o retorno”, afirma Vidigal. “Os indicadores Covid já abaixaram, e a gente sabe que o retorno das escolas não vai afetar [os indicadores]”, completa. “A gente precisa muito que o prefeito e as autoridades sanitárias se mobilizem em prol das nossas crianças. A educação é o presente e filho não tem sindicato”, declara Paula.

Segundo ela, o grupo se reúne nesta segunda-feira com a Defensoria Pública do Município para debater o tema. “Vamos pedir o apoio a ele, para que a instituição apoie o movimento e se manifeste a favor do retorno às aulas”, diz Paula.

Prefeitura debate volta às aulas hoje

A Prefeitura de BH anuncia hoje, em coletiva à imprensa, novidades sobre a volta às aulas presenciais no município. O secretário de saúde, Jackson Machado, já tinha indicado uma revisão da prefeitura com relação ao tema. Em audiência pública na Câmara Municipal, ele afirmou que o indicador utilizado pela administração municipal para o retorno das atividades, com 20 casos para cada 100 mil habitantes, era impossível a ser atingido. 

Por causa disso, afirmou que o Comitê modificou o indicador. "O comitê chegou à conclusão de que a gente tem que correr algum risco, não é possível ficar com as escolas fechadas. Nós sabemos do impacto psicossocial que o afastamento das escolas traz para as crianças", disse o secretário. 

A coletiva acontece às 14 horas, e será transmitida ao vivo pelas redes sociais da Rádio 98.