98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Pais de alunos protestam pelos 16 meses sem aulas em BH

Pais de alunos protestam pelos 16 meses sem aulas em BH

Eles pedem celeridade no processo que obriga a prefeitura a explicar como e quando será o protocolo de volta às aulas definitivo na cidade

Por Marcello Oliveira - Cidades01/06/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: Marcello Oliveira / Rádio 98

Cerca de 50 pais de alunos das redes pública e particular de Belo Horizonte fizeram um protesto na porta do Fórum da Avenida Raja Gabaglia, na região centro-sul de BH. Com faixas e discursos em megafone, eles tentavam sensibilizar juízes e desembargadores que apreciam ainda nesta semana um pedido de liminar que obriga a Prefeitura de Belo Horizonte a explicar como e quando será o protocolo de volta às aulas.

O trânsito, apesar de parcialmente fechado, não chegou a ser interrompido na avenida e a manifestação contou com o apoio de motoristas que buzinavam a favor do movimento. A Polícia Militar à distância a manifestação. 

 Segundo os manifestantes, após quase 16 meses sem aulas presenciais, a PBH continua a se negar a prestar esclarecimentos sobre a situação no município, ignorando as recomendações da Defensoria Pública e do Ministério Público de Minas Gerais. “As nossas crianças e adolescentes estão há 16 meses sem aulas, nenhum outro lugar do mundo ficou tanto tempo sem aulas, nem mesmo Londres, que chegou a ser o epicentro da pandemia no mundo, eles estão ficando com a saúde mental prejudicada”, afirmou Ana Pastor, mãe de aluno que liderou a manifestação desta terça-feira (01).

Estão tramitando no TJMG pelo menos quatro ações, impetradas em poucos dias. São duas ações foram movidas pelo SindRede que buscam impedir o retorno às aulas de forma injustificada e protelatória. Outras duas ações foram movidas pela Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais contra o Município de Belo Horizonte e uma ação movida pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais, também movida contra o Município de Belo Horizonte.

Os processos tramitam em diferentes juízos e contemplam pedidos jurisdicionais urgentes e decisivos em relação ao retorno gradual e seguro ao ensino presencial em Belo Horizonte.