98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Polícia Civil indicia 11 pessoas por intoxicação por cervejas da Backer

Polícia Civil indicia 11 pessoas por intoxicação por cervejas da Backer

O inquérito foi concluído e o resultado das investigações apresentados nesta terça-feira

Por João Henrique do Vale - Cidades09/06/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A Polícia Civil indiciou 11 pessoas no caso da contaminação das cervejas da marca Backer. Elas vão responder por lesão corporal, homicídio e intoxicação. A Polícia Civil constatou que um vazamento em um tanque provocou a contaminação das cervejas pela substância tóxica dietilenoglicol usada no resfriamento. 

Pelo menos 42 pessoas intoxicadas por dietilenoglicol, sendo que nove delas morreram. A Polícia Civil concluiu o inquérito com 29 vítimas criminais. Destas, sete morreram e 22 sobreviveram.

De acordo com o Delegado Flávio Grossi, responsável pelo inquérito, o vazamento foi identificado no chiller. Outros pontos de vazamento também foram encontrados dentro da fábrica da cervejaria.

Entre os indiciados estão: uma testemunha que mentiu no depoimento, o chefe da manutenção, responsáveis técnicos da fábrica, e três sócios da Backer. Esses últimos, responderão por intoxicação de produto alimentício.

Por meio de nota, a Backer afirmou que "irá honrar com todas as suas responsabilidades junto à Justiça, às vítimas e aos consumidores. Sobre o inquérito policial, disse que vai se posicionar tão logo os advogados analisarem o relatório.

Os indiciados

Seis responsáveis técnicos aos quais cabia zelar pela segurança e qualidade do produto final foram indiciados por homicídio culposo, lesão culposa e, em virtude de suas responsabilidades, contaminação de produto alimentício dolosa (quando se assume o risco de matar). 

Por descuidar do controle de entrada e uso de substâncias tóxicas e não ter identificado o vazamento, o chefe da manutenção foi indiciado nos mesmos artigos penais, porém, na modalidade culposa em todos os três.

Também foram indiciados outros três administradores que, segundo a Polícia Civil, além de não atentarem para a contaminação de gênero alimentício, demoraram a agir para que toda a cerveja contaminada fosse rapidamente recolhida dos postos de venda. 

Por fim, uma testemunha convocada a prestar depoimento foi indiciada por mentir e responderá pela acusação de extorsão e falso testemunho. Os nomes de todos os indiciados não foram divulgados pela polícia.


Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.