Carregando...

Cidades

O projeto para a concessão da  BR-381, a “Rodovia da Morte”, e da BR-262, entre Minas Gerais e o Espírito Santo, para a iniciativa privada, já está em análise no Tribunal de Contas da União (TCU). A expectativa do Ministério da Infraestrutura é que o leilão ocorra ainda no primeiro trimestre de 2021.

A concessão abrange 686,10 quilômetros, entre os trechos da BR-381, de Belo Horizonte a Governador Valadares, no Rio Doce; e da BR-262, do entroncamento BR-381 em João Monlevade, na Região Central de Minas, ao entroncamento com a BR-101 em Viana/ES. O contrato terá duração de 30 anos.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, a modelagem prevê investimentos da ordem de R$ 7,7 bilhões e custos de operação de cerca de R$ 6,9 bilhões para os serviços de infraestrutura e recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade do sistema rodoviário.

A concessão prevê a instalação de pedágios nas rodovias. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, as tarifas previstas são de R$ 0,12 por km para pista simples e R$ 0,16 por km para pista dupla. O usuário frequente poderá ter desconto. A medida seria para minimizar as tarifas para os usuários que necessitam realizar deslocamentos frequentes entre municípios próximos.

O edital também vai prever o desconto básico de tarifa de 5% para usuários que optarem pelo pagamento automático identificado pelo TAG eletrônico acoplado ao veículo.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais