98 Live - Logo
  1. News
  2. Cidades
  3. Reunião termina sem definição sobre abertura de bares e restaurantes em BH

Reunião termina sem definição sobre abertura de bares e restaurantes em BH

Sindicato que representa o setor fez uma sugestão ao prefeito Alexandre Kalil (PHS) para a abertura de restaurantes entre 11h e 17h. Abrasel critica a prefeitura por não falar em data de reabertura

Por João Henrique do Vale - Cidades18/08/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A reabertura de bares e restaurantes ainda está incerta em Belo Horizonte. O prefeito Alexandre Kalil (PHS) não definiu uma data para a flexibilização do comércio em reunião realizada na tarde desta terça-feira com o Sindibares, uma das entidades que representa a categoria. Já a Associação de Brasileiras de Bares e Restaurantes (Abrasel) criticou a atitude da administração municipal. 

O presidente do Sindibares, Paulo Pedrosa, afirmou que saiu otimista da reunião, mesmo sem uma data definida para a reabertura. "Continuamos com o diálogo. Os números estão estabilizados e com tendência para reduzir. Mas o prefeito afirmou que se reduzir vamos reabrir. Porém, não deu definição de data", comentou. 

No encontro, a entidade fez um pedido para que os restaurantes possam abrir para servir alimentos. "Pedimos a autorização de funcionamento de segunda a sexta-feira, ou toda semana, de 11h até 17h, sem a venda de bebidas alcoólicas. O prefeito ficou de analisar", comentou Pedrosa. 

Críticas 

A Abrasel, outra entidade que representa os bares e restaurantes, não foi convidada para participar da reunião. O presidente da associação, Paulo Solmucci, criticou a postura da prefeitura. "A solução que nós temos é a Justiça. A prefeitura não tem coragem de tomar a decisão certa. Primeiro, disse que não abre com menos de 70% de ocupação de leitos, abriu com 80 e poucos. Depois, disse que assim que os indicadores fossem favoráveis iria para a fase dois. Hoje, com todos os indicadores em verde não toma a decisão. Infelizmente, completam cinco meses com os bares e restaurantes fechados e sem uma data", afirmou. 

A Abrasel entrou com um mandado de segurança solicitando o retorno do comércio que representa de imediato. A entidade alega que setores com maior risco de contágio foram autorizados a abrir.