Carregando...

Cidades

“Tempo indeterminado”, diz sindicato sobre greve do Metrô de BH

Categoria cobra mais condições de segurança para funcionários e usuários do transporte

Por Lucas Rage

A paralisação do metrô de Belo Horizonte, iniciada nesta quarta-feira (24), não tem previsão para terminar. A informação partiu do vice-presidente do Sindicato dos Metroviários (Sindmetro), Daniel Glória Carvalho

Segundo ele, o principal objetivo da greve é garantir a segurança dos funcionários e usuários do metrô, em tempos de pandemia da Covid-19.

“As tratativas que fizemos com a empresa sobre uma escala que isolasse mais os funcionários, que proporcionasse uma higienização maior do sistema para o usuário, chegaram a um impasse”, disse.

Entre as reivindicações estão um isolamento maior, entre os turnos trabalhados, e uma higienização maior das composições e estações do metrô. “Estamos cobrando também da CBTU a testagem para os casos suspeitos da Covid, que têm surgido em um volume maior agora”, continuou.

Segundo Daniel, os testes solicitados não foram realizados “devido a uma questão burocrática” frente à CBTU.

Com a paralisação do metrô, as composições vão circular entre a capital mineira e Contagem, na região metropolitana, de 5h30 às 10h e das 16h às 20h. A Justiça do Trabalho acatou parcialmente o pedido da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e determinou que nestes horários 100% dos trens sejam utilizados para atender a demanda. 



Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais