98 Live - Logo
  1. News
  2. Economia
  3. Representantes do comércio preparam plano de reabertura de estabelecimentos

Representantes do comércio preparam plano de reabertura de estabelecimentos

Proposta será apresentada ao prefeito Alexandre Kalil

Por Lucas Rage - Economia16/04/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Sindicatos e entidades que representam o comércio de BH se reuniram, nesta quinta-feira (16), para discutir uma possível retomada do comércio e economia da capital em tempos de pandemia. O encontro traçou os próximos passos para BH, e contou com a participação de grupos como a Associação Mineira de Supermercados (Amis), o Sincovaga, o Sindimaco, o Sincagen, a Sincopeças, o Sincateva, a Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG), o Sindilojas e o Setra.

O encontro foi capitaneado pelo vereador de Belo Horizonte, Léo Burguês (PSL). "Estamos nos articulando para fazer um esboço de horários diferenciados para o comércio. O objetivo é intercalar os horários de abertura do comércio. Assim não teremos pico de aglomeração de ônibus, o que facilitaria a proliferação da Covid-19", afirmou.

Segundo o projeto desenhado, a escala de abertura de estabelecimentos seguiria os seguintes moldes:

5h - Ceasa

6h-7h - Padarias

7h - Lanchonetes e Lojas de Construção (autosserviço)

8h - Lojas de Construção (rua) e concessionárias

9h - Atacadistas de tecido

9h-10h - Comércios de bairros e hipercentro

11h - Restaurantes com almoço

17h - Restaurantes sem almoço

"Conseguimos intercalar todo o comércio, desde 5h da manhã até às 17h, picando tanto as entradas quanto as saídas", afirma Burguês.

Para os shoppings centers, a proposta é de funcionamento de 14h às 20h, sem o funcionamento das praças de alimentação. "Elas fariam somente o delivery", ressalta Burguês. Cinemas e espaços-kids também permaneceriam fechados.

A proposta é que as sugestões sejam entregues ao prefeito Alexandre Kalil. 

O vereador reiterou ainda que a palavra final cabe, tanto ao prefeito quanto ao comitê de enfrentamento à Covid-19. "O importante é resguardar vidas. Vamos deixar a saúde para quem entende, que são os infectologistas. O comércio só está se unindo para falar do que eles entendem", completou.

Veja a entrevista com o vereador Léo Burguês.



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.