Carregando...

Educação

MP visita escolas de BH para avaliar plano de retorno às aulas presenciais

MP quer apurar condições estruturais das intituições, treinamento de funcionários e aquisição de equipamentos de proteção individual

Por Fernando Motta

Embora ainda não haja previsão para o retorno das aulas presenciais nas escolas de Belo Horizonte, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) começou nesta sexta-feira (4) a fazer uma varredura nas instituições para auxiliar o planejamento das atividades.

A ação faz parte de uma série de vistorias que serão realizadas para constatar as condições estruturais dos imóveis.

A promotora de Justiça de Defesa da Educação, Nívia Mônica da Silva, esclarece que as vistorias serão feitas por regiões da capital mineira. Nem todas as instituições serão visitadas, mas algumas foram escolhidas para servir como amostragem. Posteriormente, os dados das outras escolas serão colhidas junto à PBH e ao Governo de Minas.

As visitas desta sexta-feira (4) começaram com a escola José Mendes Júnior, na Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte. À tarde, as equipes do MPMG irão visitar ainda a escola Lauriano Pimentel, no bairro Teixeira Dias, no Barreiro.

"Nossa intenção é conversar com os profissionais e verificar como anda o planejamento, saber sobre reformas arquitetônicas necessárias para cumprir os protocolos sanitários para quando as atividades presenciais retornarem", explicou a promotora.

O Ministério Público também irá avaliar o treinamento dos funcionários para lidarem com o cumprimento dos protocolos sanitários e a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Segundo a promotora, a MP quer saber ainda as condições de acesso à internet e como está o andamento do treinamento para os professores em relação às atividades virtuais

"Temos recebidos muitas reclamações relativas ao ensino não-presencial. Quando as atividades presenciais retornarem, ainda assim terá de ser um modelo híbrido, mantendo também as atividades virtuais", explicou.

Inquérito

De acordo com a promotora, as vistorias serão concluídas em meados de janeiro. Além das visitas às escolas, o MPMG também cobra uma posição da Prefeitura de Belo Horizonte quanto ao planejamento.

Está em andamento um inquérito civil para saber quais as medidas estão sendo adotadas para elaborar o calendário escolar e definir uma data de início das atividades presenciais. A promotora acredita que na próxima semana já deverá ter algum avanço quanto ao inquérito.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais