98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Carlos Ferreira Rocha fala sobre desafios encontrados pelo Conselho Gestor do Cruzeiro

Carlos Ferreira Rocha fala sobre desafios encontrados pelo Conselho Gestor do Cruzeiro

"A prepotência precede a ruína. Ainda que o Cruzeiro tivesse um elenco qualificado, a prepotência, aquelas brigas internas, brigas políticas, afetaram dentro de campo", afirma Carlos Ferreira Rocha

Por da Redação - Esporte29/05/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Carlos Ferreira Rocha, interlocutor do Conselho Gestor do Cruzeiro esteve no 98 Futebol Clube desta quinta feira (29), deu detalhes dos trabalhos e falou ainda sobre os grandes desafios encontrados pelo Conselho Gestor do clube.

"O Cruzeiro estava sem rumo, uma terra arrasada realmente, pra tirar esse carro do atoleiro não foi fácil. Foi preciso muita determinação, muito comprometimento e muito amor ao clube", disse Carlos Ferreira.

Sobre as expectativas da gestão do eleito presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, Carlos afirma:

"Nós entregamos para o Serginho um Cruzeiro com uma luz no fim do túnel, com várias diretrizes já traçadas. Pode dar continuidade também, colocar o projeto dele, que por sinal é um projeto muito bom na direção do Cruzeiro."

"A partir do momento que o conselheiro tem conhecimento do que é o estatuto do clube, o que é os regimentos internos, que tenha conhecimento político dentro de um clube, certamente ele não será alienado, não irá votar por ser amigo de fulano, ele simplesmente irá votar no melhor projeto porque ele tem conhecimento daquilo que é melhor para o clube", disse Carlos Ferreira, ao exemplificar um modelo de gestão para qualquer clube, para que não aconteça com outros clubes o que aconteceu com o Cruzeiro.

"A reforma do Estatuto passa pelo Conselho, um Conselho qualificado certamente evitará que situações iguais a essa em outros clubes aconteça"

Todos os problemas internos vividos pelo clube celeste em 2019 influenciaram diretamente no rebaixamento do clube. Ao ser perguntado se o Cruzeiro, com o elenco de prestígio que tinha, não conseguiria sair da situação de crise, ao menos dentro dos gramados, Carlos Ferreira Rocha afirmou:

"A prepotência precede a ruína. Ainda que o Cruzeiro tivesse um elenco qualificado, a prepotência, aquelas brigas internas, brigas políticas, afetaram dentro de campo. Eu não posso fazer pré-julgamento se determinado jogador errou pênalti porque quis, se tomou gol bobo porque o zagueiro deixou, eu não posso. Infelizmente eu não posso, mas eu tenho a convicção, eu tenho a certeza como torcedor que pelo elenco que o Cruzeiro tinha, teria sim, o Cruzeiro não merecia estar onde está agora, pelo elenco que tinha."

(Foto:Cruzeiro)

Confira entrevista completa abaixo: