Carregando...

Esporte

Cuca fala pela primeira vez sobre acusação de violência sexual e alega inocência

Nos registros policiais feitos no dia do ocorrido e nos autos do processo a vítima não menciona e não reconhece Cuca como um dos abusadores.

Por Thais Santos

Foto: Divulgação/Atlético

O técnico Cuca falou pela primeira vez sobre o episódio em que foi acusado de estupro de vulnerável, para a coluna da jornalista Marília Ruiz do portal UOL. O caso aconteceu em 1987 e na época Cuca, o goleiro Eduardo, o zagueiro Henrique e o atacante Fernando que defendiam o Grêmio foram acusados de violência sexual contra uma adolescente de 13 anos, durante uma excursão do time tricolor na Suiça.

Os quatro jogadores ficaram detidos por 1 mês em Berna, capital da Suiça, após esse período retornaram ao Brasil após intervenção da diplomacia brasileira para negociar suas liberações. Dois anos após o ocorrido, os ex-atletas foram condenados à revelia (o julgamento ocorreu sem a presença dos réus), Cuca foi condenado a 15 meses de prisão, no entanto a pena prescreveu.

Nos registros policiais feitos no dia do ocorrido e nos autos do processo a vítima não menciona e não reconhece Cuca como um dos abusadores e no depoimento o treinador fez questão de afirmar sua inocência :


“Pra resumir, eu não tenho culpa de nada, nunca levantei um dedo indevidamente ou inadequadamente para alguma mulher, vivo numa casa que 90% aqui são mulheres, e tem eu aqui como homem né? E nem por isso aqui sou machista, pelo contrário, sempre me adapto e tento fazer o melhor possível, então isso é uma coisa que me incomoda  bastante sabe? A gente vê aí em alguns lugares, vê, ah o Cuca não, por causa disso ou daquilo, eu não devo nada para ninguém sabe? Eu não sou um cara do mal, eu não fiz nada de errado, não fui julgado e culpado por alguma coisa, eu fui julgado a revelia, porque já não estava mais no Grêmio quando houve esse julgamento junto com os outros rapazes.” (Disse cuca).


Em outro momento do vídeo gravado ao lado da esposa e das duas filhas, Cuca dá detalhes sobre o que aconteceu naquele dia:


É uma coisa que eu tenho uma lembrança muito vaga, até porque não houve nada, não houve estupro como falam, como diz as coisas, houve uma condenação por ter uma menor adentrado o quarto e simplesmente isso, não houve abuso sexual, não houve tentativa de abuso ou coisa assim né? Então, tanto é que tá nos “coisos” né? Só que hoje, 34 anos depois, com a força que os movimentos vem pegando, a gente fica vendo isso e fica nos sentindo sabe? Então eu resolvi dar um basta nisso, dar uma entrevista pra vocês.”


Cuca ainda destacou que veio a público esclarecer os fatos, para que o ocorrido não possa prejudicar sua carreira e revelou que ainda pretende treinar vários clubes grandes:


A gente tem que encarar as coisas da vida, mas pra dar um basta nisso sabe? Eu quero treinar ainda grandes equipes, mas não quero nunca ser um cara mal falado, eu prefiro ficar na minha casa do que sair aí e achar polêmica e achar problema né? Minha vida é baseada nesses conceitos aqui que é família, que é a fé em Deus e que é ser uma pessoa honesta e íntegra, isso eu tenho feito em todos os clubes que eu passei né? (Completou cuca).


Cuca comandou o Santos na temporada passada em que o Peixe terminou a Série A na 8ª colocação com 54 pontos e foi vice-campeão da Copa Libertadores. Cuca é um dos nomes cogitados no Atlético, para assumir a vaga deixada por Jorge Sampaoli no comando do alvinegro mineiro.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais