98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Em partida de pouca inspiração, Cruzeiro fica no empate sem gols com o Cuiabá

Em partida de pouca inspiração, Cruzeiro fica no empate sem gols com o Cuiabá

Com o resultado, a Raposa praticamente sacramentou a permanência na Série B de 2021. O Cuiabá se manteve na terceira colocação.

Por Guilherme Souza - Esporte29/12/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: AssCom Dourado


Cruzeiro e Cuiabá entraram em campo na noite desta terça-feira (29), no Independência, em partida válida pela trigésima segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

As duas equipes não saíram do 0x0. Resultado que torna ainda mais remoto o acesso cruzeirense. O Cruzeiro subiu para a décima primeira colocação, com 41 pontos. O Cuiabá se manteve na terceira posição, com 51 pontos.

A Raposa volta a campo no dia 8 de janeiro, sexta-feira, às 21h30, diante do Sampaio Corrêa, no Estádio Castelão, em São Luís/MA. O Cuiabá, por sua vez, receberá o Juventude,na Arena Pantanal, no dia 5, terça-feira, às 21h30.


PRIMEIRO TEMPO


Com a mudança promovida por Felipão no esquema tático, esperava-se um Cruzeiro mais ofensivo, propondo o jogo e ditando o ritmo. A equipe começou melhor a primeira etapa, dominando o meio-campo e impedindo as investidas do adversário. No entanto, o time pecou bastante na criação e teve pouquíssima inspiração nos primeiros quarenta e cinco minutos.

A equipe celeste apostava em chutes de longa distância, com Rafael Sóbis, Filipe Machado e Arthur Caíke, entretanto, sem efetividade.

A melhor chance da Raposa foi com Arthur Caíke, aos vinte e nove minutos. O atacante chutou forte pelo lado esquerdo, obrigando uma boa defesa de João Carlos, que acabou dando rebote.

Dois minutos depois foi a chance de Manoel fazer um verdadeiro gol para a equipe estrelada. Após ótimo contra-ataque da equipe mato-grossense, Marcinho saiu cara a cara com Fábio, tocou de calcanhar para Pierini, que bateu de primeira, mas Manoel, muito bem posicionado, se jogou na bola, impedindo o gol dos visitantes. Na reta final do primeiro tempo, o jogo esfriou e as equipes passaram a se estudar mais.


SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, o Cruzeiro melhorou nos primeiros minutos e imprimiu um ritmo mais forte, e com maior posse de bola, buscou o jogo aéreo o tempo todo.

Aos seis minutos, Arthur Caíke perdeu uma grande chance. Alexandre Melo tenta dominar o cruzamento, mas a bola sobrou para o cruzeirense, que finalizou desequilibrado, obrigando João Carlos a fazer uma ótima defesa.

As jogadas eram concentradas pelo lado direito e Raúl Cáceres era presença certa no campo de ataque.

Com a postura agressiva, o Cruzeiro deixava espaços. Aos trinta e três minutos, Maxwell recebeu livre, balançou as redes, porém, em posição de impedimento.

 Assim como na primeira etapa, a falta de criação e desorganização foi preponderante para que o resultado não fosse alterado.



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.