Carregando...

Esporte

Justiça do Trabalho derruba rescisão unilateral do zagueiro Dedé com o Cruzeiro

O zagueiro Dedé havia conseguido a liminar autorizando a rescisão unilateral baseado em atrasos do Cruzeiro com o FGTS do jogador. No entanto, a liminar foi derrubada na noite desta quarta-feira (10).

Por Vinícius Silveira

Nesta quarta-feira (10), a Justiça do Trabalho, em processo que tramita na 48ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, derrubou a liminar que dava ao zagueiro Dedé a rescisão indireta do contrato com o clube, liberando o jogador para acertar com qualquer outra equipe. 

No dia 22 de fevereiro, o zagueiro Dedé havia conseguido uma liminar na Justiça do Trabalho que autorizava a rescisão de contrato unilateral com o defensor. O processo também menciona que existem atrasos e ausências do Cruzeiro no FGTS de Dedé.

"Além das cópias da petição inicial e de decisões proferidas no processo originário, o impetrante limitou-se a anexar aos autos, a título de prova documental, o extrato de FGTS, que de fato evidencia atrasos e ausências de depósitos de fundo de garantia".

Porém, no resultado do processo, foi colocado que não haviam justificativas suficientes que liberassem a liminar para o jogador rescindir unilateralmente o contrato com o Cruzeiro.

"Não existia elementos que liberassem o zagueiro Dedé do contrato atual que tinha com o Cruzeiro que não há nos autos da ação mencionada, por ora, elementos suficientes para se formar convicção acerca das alegações do reclamante, de modo que o reconhecimento da rescisão indireta depende, de dilação probatória, com a plena formação do contraditório".

O contrato de Dedé com o Cruzeiro termina em dezembro de 2021, e o zagueiro não atua desde outubro de 2019, quando o time celeste enfrentou o Corinthians, pela Série A do Brasileirão. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais