98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Justiça nega pedido de bloqueio das contas de Wagner Pires e Itair Machado

Justiça nega pedido de bloqueio das contas de Wagner Pires e Itair Machado

Jurídico do Cruzeiro havia pedido bloqueio de quase R$ 6,9 milhões de Wagner Pires e Itair Machado

Por Vinícius Silveira - Esporte13/07/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

A juíza Marcela Maria Pereira Amaral Novais, da 35ª vara cível de Belo Horizonte indeferiu o pedido do Cruzeiro para bloquear quase R$ 6,9 milhões das contas do ex-presidente do clube, Wagner Pires de Sá e do ex-vice-presidente de futebol Itair Machado. A informação foi publicada inicialmente pelo jornal Hoje em Dia.

De acordo com o processo, assim declara: “O autor não apresentou prova pré-constituída a revelar a ocorrência ou possibilidade de dilapidação do patrimônio dos réus, sendo que a justificativa do pleito cautelar está simplesmente calcada no temor subjetivo da parte autora, ante o elevado valor do prejuízo indicado, não se vislumbrando sequer de indícios de perigo de dilapidação dos bens pela parte contrária, restando apenas sua narrativa, de forma isolada”.

Ainda sobre a decisão da juíza, o negativa do pedido feito pelo Cruzeiro se deve a três fatores:

1º - “o segundo réu, não recebia diretamente do Cruzeiro como pessoa física”. No caso, o segundo réu é Itair Machado.

2º - “Não se vislumbra, nas disposições do Estatuto do Cruzeiro, a vedação legal para remuneração do cargo de Vice-Presidente de Futebol e Administração, cargo de livre nomeação pelo Presidente e, portanto, de natureza não eletiva. Lado outro, o Estatuto confere ao Presidente a atribuição de “estabelecer a remuneração a ser paga aos empregados e aos atletas do Cruzeiro Esporte Clube”.

3º - “Com relação à alegada nulidade do contrato de prestação de serviços profissionais de administração de futebol profissional e de base, extraem-se das disposições contidas no Estatuto que não há vedação legal que impeça a celebração de negócio jurídico entre o Clube autor e empresa de propriedade do réu”.

A ação movida pelo Cruzeiro na semana passada deve-se ao repasse de valores a empresa Futgestão Assessoria Esportiva Ltda, que pertence a Itair Machado e esposa, por pagamento de serviços prestados ao Cruzeiro no período em que Itair esteve no cargo de vice-presidente de futebol do clube na gestão de Wagner Pires. De acordo com o processo, a atividade não está prevista no Estatuto do Clube, pois os cargos não tem remuneração.