98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Na estreia de Felipão, Cruzeiro derrota o Operário no Paraná

Na estreia de Felipão, Cruzeiro derrota o Operário no Paraná

O gol celeste foi marcado por Arthur Caíke, aos 39 minutos do segundo tempo; o resultado tira o Cruzeiro de um jejum de quatro jogos sem vencer.

Por Vinícius Silveira - Esporte21/10/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A estreia de Luiz Felipe Scolari no comando técnico do Cruzeiro não poderia ter sido melhor. Com gol de Arthur Caíke, o time celeste venceu o Operário-PR, por 1 a 0, no Estádio Germano Kruger.

O jogo valeu pela 17ª rodada do Brasileirão da Série B. Com o resultado, o Cruzeiro ainda permanece na zona de rebaixamento por conta da vitória do Náutico sobre o Oeste.

Na próxima rodada, o Cruzeiro vai enfrentar o Náutico, no Estádio dos Aflitos, domingo (25), às 16 horas.

CRUZEIRO ESBARRA NOS ERROS

No primeiro tempo, o Cruzeiro demonstrou disposição e vontade de jogar. Prova disso foi a movimentação dos jogadores em campo, principalmente, nas laterais, com Rafael Luiz e Matheus Pereira.

No entanto, o time celeste esbarrava nos erros de outras partidas: passes equivocados, pouca criatividade e finalizações erradas. O Operário-PR tinha a estratégia do contra-ataque, mas a falta de qualidade fazia com que qualquer ação do Fantasma parasse na defesa do Cruzeiro.

Apesar das investidas celestes no jogo, nenhuma finalização exigiu grande defesa do goleiro Thiago Braga, Da mesma maneira, o Operário não fez o arqueiro celeste Fábio sujar o uniforme.

SEGUNDO TEMPO É DO CRUZEIRO E O GOL ESPERADO ACONTECEU

Na etapa final, o Cruzeiro melhorou, mas ainda apresentava dificuldade na criação das jogadas. O Operário escolheu ficar na defesa e “dar a bola” ao time celeste, que jogou quase todo o tempo no campo defensivo da equipe paranaense.

Aos 19 minutos, Thiago Braga fez ótima defesa na cobrança de falta de Marquinhos Gabriel. Aos 23, foi a vez do goleiro do Operário defender a bola na cabeçada de Arthur Caíke.

O Cruzeiro melhorou com as entradas de Maurício e Airton. Teve mais mobilidade, ficou ainda mais participativo, ainda que parasse nos passes errados.

Ao Operário, restava levar perigo nas bolas paradas. Em uma delas, a sorte esteve ao lado do Cruzeiro. Na falta cobrada por Marcelo, o zagueiro Rafael Bonfim finalizou em frente ao goleiro Fábio. A bola passou muito perto do travessão.

Quem realmente estava melhor era o Cruzeiro e a recompensa veio aos 39 minutos. Airton partiu em velocidade e abriu a defesa do Operário. Logo depois, o camisa 77 cruzou, a bola passou por todo mundo, mas não por Arthur Caíke, que dominou e bateu de perna direita para as redes de Thiago Braga. Era o gol da vitória tão esperada. 

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.