98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Páginas Heroicas: Tríplice Coroa 2003

Páginas Heroicas: Tríplice Coroa 2003

A Tríplice Coroa é um dos capítulos mais gloriosos da história do Cruzeiro, tanto mereceu publicações de livros e inúmeras reportagens ao longo dos anos

Por Vinícius Silveira - Esporte02/01/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: Reprodução/Site Oficial Cruzeiro

Entre as muitas páginas heroicas e imortais que o Cruzeiro possui, e que o torcedor tanto se orgulha, a chamada Tríplice Coroa, conquistada em 2003, está no coração dos cruzeirenses. Na ocasião, o time celeste levantou os canecos do Campeonato Mineiro, da Copa do Brasil – ambos invictos – e o Campeonato Brasileiro.

Apesar do bem sucedido ano de 2003, a preparação do time que marcaria história no Cruzeiro começou durante o Campeonato Brasileiro de 2002 e os primeiros meses de 2003.

CONTRATAÇÃO DE VANDERLEI LUXEMBURGO E RETORNO DE ALEX

Após a perda da Copa dos Campeões do Brasil para o Paysandu, o Cruzeiro perdeu o técnico Marco Aurélio após a primeira rodada do Brasileirão de 2002 para futebol japonês. Vanderlei Luxemburgo, que estava no Palmeiras, foi contratado e estreou na terceira rodada daquele campeonato.

Em setembro, o meia Alex, que teve passagem apagada pelo Cruzeiro em 2001, foi contratado pela direção celeste. O camisa 10 cresceu junto com o time no Brasileirão, e mesmo com cinco vitórias nos últimos cinco jogos, os cruzeirenses foram eliminados ainda na primeira fase do Brasileirão.

PREPARAÇÃO EM ARAXÁ, REFORÇOS E CAMPEÃO MINEIRO

Passado o Brasileirão, o Cruzeiro começou a pensar em 2003, e a preparação do time foi feita na cidade de Araxá. Durante os primeiros meses daquele ano, reforços chegavam e aumentavam à qualidade da equipe em todas as posições, casos de Maurinho, Edu Dracena, Mota, Aristizabal e Deivid. O técnico Vanderlei Luxemburgo passava a ter um time titular forte e peças de reposição com qualidade no banco de reservas.

No Campeonato Mineiro, o Cruzeiro sobrou e foi campeão de forma invicta. O título foi conquistado por antecipação na goleada sobre a URT, no estádio Zama Maciel, em Patos de Minas, por 4 a 0. O jogo contra o Tupi terminou com o mesmo placar e representou a festa do time campeão com a torcida no Mineirão.

COPA DO BRASIL INVICTA E ELENCO CADA VEZ MAIS FORTE

Em 2003, o Cruzeiro sobrou na Copa do Brasil, eliminando Rio Branco-ES, Corinthians-RN, Vila Nova-GO, Vasco da Gama e Goiás, até a decisão contra o Flamengo. No primeiro jogo, empate em 1 a 1, com direito a um gol de calcanhar histórico anotado por Alex.

No Mineirão, o Flamengo não foi problema em momento algum. Com 30 minutos do primeiro tempo, o placar do Mineirão já apontava 3 a 0 para o Cruzeiro, com gols de Deivid, Aristizabal e Luisão. O título era certo e foi confirmado com o apito final do juiz. A quarta Copa do Brasil foi conquistada de forma invicta.

JOGADORES IMPORTANTES SÃO NEGOCIADOS E REFORÇOS CHEGAM À TOCA

Todo time que se destaca acaba chamando a atenção e os jogadores tendem a ser visados por outros times. Com o Cruzeiro não foi diferente e dois atletas que ganharam notoriedade no primeiro semestre da campanha de 2003, acabaram negociados com outras equipes.

Na defesa, o zagueiro Luisão foi negociado com o Benfica-POR. No ataque, Deivid foi cedido ao Bordeaux-FRA. Seria necessário contratar jogadores.

Após o começo do Brasileirão, os volantes Maldonado e Felipe Melo, o meia Zinho e os atacantes Alex Dias e Alex Alves foram alguns dos reforços que chegaram para o elenco. O zagueiro Cris, que estava emprestado ao Bayer Leverkusen-ALE, retornou ao clube e formou uma parceria forte com Edu Dracena.

CAMPEÃO BRASILEIRO INCONTESTÁVEL

Foi o primeiro Campeonato Brasileiro por pontos corridos da história e o Cruzeiro não iria fazer feio diante da novidade que se apresentava ao futebol brasileiro.

A campanha do Cruzeiro foi digna de um campeão. O clube somou 100 pontos, com 31 vitórias, sete empates e oito derrotas, liderando o campeonato em 37 das 46 rodadas disputadas. Marcou 102 gols na competição e sofreu 47.

Com estes números, o título seria questão de tempo e ele veio por antecipação. No dia 30 de novembro, o Cruzeiro venceu o Paysandu, por 2 a 1, com gols de Zinho e Mota, e festejou a conquista nacional com a torcida. Sem a taça oficial do campeonato, os atletas deram a volta olímpica com um troféu simbólico.

A volta olímpica oficial aconteceu no jogo seguinte, contra o Fluminense. O Cruzeiro goleou por 5 a 2, com um verdadeiro show de Alex, autor de dois gols, sendo um deles, por cobertura no goleiro Kleber. Na última rodada, valeria mais uma goleada, e o Bahia foi a vítima do momento. O tricolor baiano levou sonoros 7 a 0 na Fonte Nova. Alex marcou cinco gols.

Na temporada, foram 73 jogos, com 52 vitórias, 13 empates e oito derrotas. O Cruzeiro marcou 179 gols e sofreu 70, um aproveitamento de 77%. Alex foi o artilheiro disparado do ano celeste, anotando 39 gols.