98 Live - Logo
  1. News
  2. Esporte
  3. Sede do Cruzeiro pode virar Centro de Combate à Corrupção

Sede do Cruzeiro pode virar Centro de Combate à Corrupção

O Procurador-Geral do Estado, Dr. Jarbas Soares Junior conversou com exclusividade com a Rádio 98, e respondeu se o prédio que será utilizado para abrigar este órgão será mesmo à antiga sede do Cruzeiro.

Por Vinícius Silveira - Esporte06/05/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Na última quarta-feira (5), foi divulgada a notícia de que a antiga sede do Cruzeiro, localizada na Rua Timbiras, seria envolvida em um acordo com o Ministério Público de Minas Gerais, e que esta negociação poderia render ao clube, o valor de R$ 40 milhões. A informação foi passada, inicialmente, pela Rádio Itatiaia.

O prédio seria utilizado para abrir uma sede única do Ministério Público para abrigar todos os departamentos do MPMG, na criação de um órgão no combate a corrupção e crimes de lavagem de dinheiro.

O procurador-geral do Estado, Dr. Jarbas Soares Junior conversou com exclusividade com a Rádio 98, e respondeu se o prédio que será utilizado para abrigar este órgão será mesmo à antiga sede do Cruzeiro.

Na verdade, o Ministério Público de Minas Gerais tem órgãos de investigação que estão distribuídos em alguns edifícios no próprio Ministério Público, e nós estamos buscando colocar todos estes órgãos em uma unidade no combate ao crime de corrupção. Uma das regiões que o Ministério Público tem outras estruturas é no Barro Preto, onde está localizado o Fórum Lafayette, e entre vários edifícios olhados para receber esta estrutura de combate ao crime de corrupção, seja por locação ou desapropriação, foi referido a Sede do Cruzeiro, que está vazio, e poderia ser locado para abrigar estes órgãos do Ministério Público”.

A notícia foi divulgada de uma forma que não pareceu importante neste momento, porque há outras opções e o Ministério Público que precisa se estruturar para combater o crime de forma melhor. Neste edifício terá a Procuradoria de Justiça com o gabinete do próprio procurador-geral de Justiça, para combater os crimes de autoridades de foro, no caso, promotores, juízes, secretários de estado, deputados estaduais, e participando destas investigações com suas equipes”.

Além disso, o grupo de combate às organizações criminosas, Gaecos, a área de coordenação criminal do Ministério Público, a procuradoria de crimes de prefeitos, centro de apoio de combate à sonegação fiscal, e eventualmente, as próprias promotorias da coordenação do júri. Todos nós teremos lá, e só para se ter uma noção, nós precisamos de um andar só para o laboratório de lavagem de dinheiro, e todas as nossas estruturas de investigação. Nossas equipes são formadas por promotores, procuradores, delegados e militares, então é uma unidade estatal de combate ao crime. Vamos colocar todos no mesmo edifício, porque caso contrário nós teremos de montar várias estruturas idênticas e em prédios diferentes. Então, o surgimento do nome do Cruzeiro, que é uma equipe de muitos torcedores e isso gera um fato, mas a procuradoria é muito profissional e está procurando esta estrutura”.

Dr. Jarbas Soares Junior respondeu se o Cruzeiro terá que liberar o prédio, caso ele seja mesmo escolhido para abrigar o órgão do Ministério Público de Minas Gerais.

Não quero trabalhar com hipótese, porque a forma que a notícia foi divulgada acabou gerando essa polêmica toda. Como está um prédio vazio, se eventualmente atenderem e couberem todos estes órgãos lá, se for um valor de mercado em que a avaliação será feita pela Secretaria de Estado de Planejamento com seus técnicos, se for realmente aquele prédio, eu me pergunto: porque não?”

Mas temos outros edifícios na região próxima ao Fórum e em outras regiões de Belo Horizonte também. A vantagem de estar perto de Fórum é que ali tem uma possibilidade maior de contato com os magistrados para realização de despachos, embora nós estejamos a caminho da virtualização. De toda forma, nós não sabemos como será o futuro, algumas atividades serão presenciais também, e sempre perto do Fórum também auxilia muito. O Ministério Público tem vários órgãos naquela região”.

Os valores citados no acordo poderiam chegar a R$ 40 milhões. Dr. Jarbas Soares Junior falou se o valor informado procede e se o Cruzeiro tem a opção apenas de alugar e não vender o prédio. 

Esta pergunta tem que ser feita ao presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues. Tem outros prédios na região com valores muito próximos a este. O prédio do Cruzeiro tem oito andares, outros com a mesma quantidade, sete, nove andares na região. O importante é que se nós conseguirmos colocar no mesmo prédio todas as nossas estruturas, os procuradores, promotores, servidores, delegados e militares que auxiliam, e todas as estruturas de investigação. Como se trata de um prédio de combate ao crime e corrupção, nós precisamos de uma área livre e maior para as reuniões maiores e também um estacionamento para guardar todos os veículos que são utilizados em operações. É importante destacar que muitas vezes, sobretudo, em investigação, os meios virtuais para reunião não são seguros. Então, nós precisamos ter reuniões presenciais, e tem que ter um prédio muito adaptado, o que não vai acontecer é de o Ministério Público construir um prédio. Nós achamos que esta não é a melhor alternativa, já que temos outras opções”.

Por fim, Dr. Jarbas Soares Junior respondeu se foi o Cruzeiro que teria oferecido o prédio para o Ministério Público de Minas Gerais. 

O Ministério Público tem um setor que chamamos de sedes próprias, que estuda todas as alternativas, como no caso de Varginha houve uma identificação. Nós estamos olhando todos os prédios na região. Onde fica a Procuradoria é Santo Agostinho e Lourdes, e mais caro. Então, não há necessidade de estar ao lado da Procuradoria. O importante é que esteja em Belo Horizonte. Olhamos prédios na Cidade Jardim, Barro Preto, Lourdes, onde os valores são mais expressivos, e nós não temos preferência. A ideia é que todos estejam em um lugar e o prédio seja funcional, porque não adianta um prédio com a garagem pequena, pois as operações usam mais veículos, mais pessoas, e precisamos agir naquele momento. Então, muita especulação, muita conversa, e por se tratar de um clube de futebol que passou por problemas e que todos sabem, aí gera este tipo de especulação”.

Nós, aqui, o Ministério Público temos a segurança de que estamos buscando o melhor para a sociedade e todos precisamos de um órgão de combate a corrupção. Aí vem a pergunta: porque não no edifício-sede da procuradoria? Aqui, trabalham 130 procuradores, equipes, área administrativa, por isso, não tem como caber todos. Destes órgãos todos que citei, aqui tem um. No momento em que ele vai para o prédio novo, abre espaço para outros órgãos e nós saímos de locações que o Ministério Público tem que enfrentar todos os dias, pois precisamos de estruturas para obter os resultados”.

O Cruzeiro mudou de sede para um coworking da We Work, que fica no shopping Boulevard, no dia 8 de fevereiro, com o objetivo de economizar o valor de R$ 2 milhões por ano com gastos de manutenção.