98 Live - Logo
  1. News
  2. Polícia
  3. Candidato morto em Patrocínio: Polícia negocia para que suspeito se entregue

Candidato morto em Patrocínio: Polícia negocia para que suspeito se entregue

Caminhonete do autor e a possível arma utilizada do crime foram localizadas na cidade vizinha de Perdizes, mas Jorge Marra - irmão do prefeito de Patrocínio - ainda não foi encontrado

Por Fernando Motta - Polícia25/09/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A Polícia Civil continua as buscas pelo ex-secretário de Obras de Patrocínio, Jorge Marra, irmão do atual prefeito, Deiró Marra (PSD), que assassinou a tiros o candidato a vereador Cássio Remis. O crime aconteceu na cidade do Alto Paranaíba na tarde dessa quinta-feira (24) e foi flagrado por câmeras de segurança.

Os investigadores pediram a prisão preventiva do ex-secretário. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, os delegados Valter André e Renato Mendonça, que coordenam as investigações, disseram que a expectativa é de que a Justiça decrete a prisão preventiva de Marra ainda nesta sexta-feira (25). Eles informaram que entraram em contato com familiares para tentar negociar que o ex-secretário se entregue às autoridades após o decreto.

A caminhonete do autor e a possível arma do crime foram localizadas na cidade vizinha de Perdizes, mas Jorge Marra ainda não foi encontrado. O veículo estava na residência de um político da cidade, que a polícia preferiu não identificar para não atrapalhar as investigações.

O revólver era registrado no nome de Jorge Marra, mas ele não tinha porte de armas. "Ela poderia estar na residência ou local de trabalho, mas não circulando com ele pela cidade", disse o delegado Valter André.

Um celular também foi encontrado dentro da caminhonete. A perícia irá concluir se esse é o aparelho que pertencia à vítima.

O crime

A confusão entre os dois começou pouco tempo antes do crime. Remis transmitia uma live fazendo críticas a obras em uma avenida da cidade. Durante a transmissão, foi interrompido por Marra, que tomou o celular das mãos da pessoa que fazia a gravação. Em seguida, ele fugiu em uma caminhonete.

O candidato a vereador perseguiu Marra para tentar pegar de volta o celular. Os dois voltaram a discutir e, durante o atrito, o ex-secretário de Obras foi até o veículo e pegou uma arma. Em seguida, atirou 4 ou 5 vezes contra o desafeto, que morreu na hora. O Instituto Médico Legal (IML) ainda irá informar com precisão a quantidade de disparos.

A Polícia Civil trata o caso como homicídio qualificado por motivo fútil, o que implicaria em mais de 30 anos de pena máxima.

Vítima denunciava irregularidades

Segundo os investigadores, a vítima era muito ativa politicamente, mas não havia histórico de conflitos com o autor. "Não era pessoal com os Marra, era uma fiscalização que um cidadão faz do serviço público", disse o delegado Renato Mendonça.

De acordo com a polícia, nesse primeiro momento não há indícios de qualquer ligação entre o prefeito Deiró Marra e a ação do irmão.

A polícia disse que está apurando o envolvimento de outras pessoas no crime e na possibilidade de facilitação da fuga de Jorge Marra. "Polícia Civil não fechou os olhos pra isso. Quem ajudou, irá responder por isso", disse Mendonça.

Os delegados afirmaram ainda que o clima na cidade é bastante conturbado e houve passeatas pelas ruas durante o velório de Cássio Remis. A polícia também monitora as redes sociais, onde já foram registradas ameaças à família do prefeito.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.