98 Live - Logo
  1. News
  2. Polícia
  3. Ministério da Agricultura libera maioria dos tanques da fábrica da Backer em BH

Ministério da Agricultura libera maioria dos tanques da fábrica da Backer em BH

Empresa precisa esterilizar a fábrica e ser novamente certificada para retornar atividades de produção; cerveja retida nos tanques será usada para fabricação de álcool 70%

Por Fernando Motta - Polícia29/04/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) liberou nesta terça-feira (28) 66 dos 70 tanques da Cervejaria Backer, em Belo Horizonte.

Apenas um dos 70 tanques de produção continua objeto de investigação. Outros três seguem lacrados pois receberam o líquido que estava armazenado no tanque ainda sob análise. A liberação da fábrica foi uma demanda da Backer às autoridades. Como demonstraram as investigações, não houve contaminação na água da fábrica e o problema foi pontual, não havendo razão para persistir a interdição.

Também foi autorizada a utilização de 472 mil litros de cerveja que ficaram há mais de 90 dias retidos nos tanques para a produção de álcool 70%. Segundo a cervejaria, o produto será convertido em 28,3 mil litros de álcool e destinado ao combate à epidemia de coronavírus.

Após o esvaziamento dos tanques, a Backer vai passar por um completo processo de esterilização, testagem e certificação de todos os processos de produção por técnicos do próprio Mapa.

Peritos da Polícia Civil também estiveram no local e recolheram as últimas amostras. Os tanques liberados apresentaram resultado negativo para presença de mono-etileno-glicol e di-etileno-glicol e estarão liberados para voltar a produzir após a certificação.

Segundo a Polícia Civil, o inquérito ainda não foi concluído, mas houve "grande avanço". De acordo com a corporação, nenhum resultado será adiantado, neste momento, para não prejudicar as investigações.

Ao todo, 42 pessoas são investigadas. Cerca de 60 já prestaram depoimentos. Todas as vítimas sobreviventes já passaram por perícia. Cinco necropsias já foram realizadas e as demais vítimas fatais serão periciadas de forma indireta, ou seja, por meio de documentos médico-legais.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.