98 Live - Logo
  1. News
  2. Polícia
  3. PM vai fiscalizar aglomerações e uso da máscara em Minas

PM vai fiscalizar aglomerações e uso da máscara em Minas

Viaturas terão avisos sonoros; segundo major Flávio Santiago, chefe de imprensa da instituição em Minas, militares serão treinados para que abordagem seja feita com "redução de danos e humanidade"

Por Central 98 - Polícia25/06/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A partir desta quinta-feira (25) todas as viaturas da PM em Minas Gerais terão avisos sonoros de como a população deve se comportar durante a pandemia da Covid-19. A coorporação irá fiscalizar as aglomerações e o uso da máscara em todo o Estado.

Em entrevista ao Central 98, o major Flávio Santiago, chefe de imprensa da instituição, disse que serão abordagens de conscientização e que os militares serão treinados para fazê-las com "redução de danos e humanidade".

"A PM tomará todos os mecanismos para fazer com que as pessoas não só utilizem a máscara, se conscientize, mas também que evitem as aglomerações. A sociedade toda vive um momento de tensão muito grande. Ela precisa de alento, não precisa de coerção", disse o militar.

Atuação

Segundo o major, as pessoas devem continuar denunciando situações irregulares. Ele contou que a PM já conseguiu abordar várias festas clandestinas em andamento e também evitar bailes que foram organizados e previamente desconstituídos pelas forças de segurança.

PMs sem máscara

Questionado a cerca de denúncias feitas pela população de alguns militares circulando sem máscara, o major disse que a orientação da instituição é para que todos utilizem o equipamento, no entanto a sociedade em geral está "em um processo de conscientização".

"Temos que entender que em alguns momentos eles estão em face de alguma higienização necessária. Pensa: toda hora ele aborda, toda hora ele precisa se reigienizar. As vezes as pessoas acabam fotografando algum momento desse. É claro que também temos a sandália da humildade para entender que alguns precisam às vezes de uma orientação mais aproximada de seus comandantes", avaliou.

Assista à entrevista completa: