98 Live - Logo
  1. News
  2. Polícia
  3. Vídeo: Fiscalização da Guarda Municipal em bar no Anchieta termina em confusão

Vídeo: Fiscalização da Guarda Municipal em bar no Anchieta termina em confusão

Agentes chegaram ao local após uma denúncia; Vídeo feito por uma pessoa no local mostra o dono do bar sendo imobilizado pelos agentes

Por Fernando Motta - Polícia17/07/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Uma fiscalização da Guarda Municipal de Belo Horizonte terminou em confusão na noite dessa quinta-feira (16) em um bar que fica em um centro comercial na avenida Bandeirantes, no bairro Anchieta, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Segundo a Guarda, os agentes chegaram ao local após receberem uma denúncia por parte da população de que havia aglomeração nos arredores do estabelecimento. Um vídeo (veja abaixo) feito por uma pessoa no local mostra o dono do bar sendo imobilizado pelos agentes.

Ele chega a cair no chão ao se debater, enquanto as pessoas no local questionam a postura dos guardas.

"Eu tô tremendo. Ninguém resistiu a prisão. Eles não fizeram nada. Foi a mãe deles que realmente descatou um deles [da Guarda]. Mas ela não fez agressão física, nada", afirma a autora do vídeo, durante a filmagem.

Em nota, a Guarda Municipal informou que os agentes chegaram ao local e orientaram as pessoas presentes sobre as regras do decreto municipal, além de distribuírem máscaras para aqueles que não usavam o equipamento.

Em seguida, uma senhora teria desacatado a equipe e outras duas mulheres agrediram fisicamente os guardas. Os agressores foram detidos e encaminhados ao Ceflan3.

Ainda segundo a Guarda, o alvará de localização e funcionamento do estabelecimento foi recolhido por ser reincidente no descumprimento do decreto. A nota diz que os agentes estiveram cinco vezes no estabelecimento para orientar os comerciantes sobre as regras do decreto.


Desabafo nas redes

Alexandre Pampolini, primo do homem agredido no vídeo, foi às redes sociais criticar a ação da Guarda Municipal. O texto circula em grupos de WhatsApp e repercutiu na internet, após a abordagem. Veja abaixo:

"A Guarda municipal bateu, empurrou, machucou, agrediu com palavrões, um primo meu , o Daniel , que não faz mal a ninguém , um cara do bem , humilde , trabalhador , sempre em prontidão para servir os funcionários dele , rodando as lojas do TUDO NO ESPETO , fazendo o abastecimentos das mesmas.

Ele foi empurrado e jogado ao chão !

No meio da confusão , apertaram , empurraram , bateram em um Tia minha de mais de 60 anos, uma senhora que estava trabalhando fazendo entregas TAKE To GO e se relacionando com os clientes, batendo papo com quem esperava ali as suas encomendas !!!

Um amigo da família , tentou intervir e foi imobilizado ao chão , sendo impossibilitado de qualquer reação e explicação , tamanha a Truculência usada contra os 3 envolvidos. 

A população está Indignada!!!

Com mais de 40 anos no mercado o TUDO NO ESPETO , atravessou várias crises do País , se reinventou na PANDEMIA , teve os direitos perseguidos de funcionar e agora , uma atitude COVARDE , da GUARDA MUNICIPAL !!! 

Balanço

Desde o dia 20 de março, quando passou a vigorar o decreto municipal, até ontem, os guardas municipais realizaram 38.160 abordagens de orientação a comércios, empresas e em espaços públicos da capital. As abordagens resultaram no fechamento de 17.689 estabelecimentos que estavam em desacordo com as determinações.