Carregando...

Política

Com promessa de "debate de ideias", Álvaro Damião fala sobre próximo mandato de vereador

Quinto vereador mais bem votado de BH foi entrevistado pelo 98 Talks; confira os principais pontos do papo!

Por Lucas Rage e Vinícius Silveira

O 98 Talks dessa quinta-feira (03) deu continuidade nas sabatinas dos candidatos a vereador mais votados de Belo Horizonte.

O entrevistado foi o jornalista Álvaro Damião (DEM)reeleito com 12.742 votos — que lhe garantiu a 5ª colocação no pleito esse ano.

Veja os principais pontos da entrevista:

Desafios de campanha 

"O vereador é do dia a dia. E essa dificuldade foi a maior. A gente teve que montar rapidamente uma estratégia para alcançar o eleitor. A nossa estratégia foi basear muito no WhatsApp. Por que todo mundo tem. Eu vou do Belvedere ao Ribeiro de Abreu em um segundo", afirmou. "E eu contei com o apoio da população, que divulgou meus vídeos. Eu conversava pessoalmente com a população. E por isso deu certo", completou.

Renovação da Câmara

Damião chamou de "recado" a renovação de 59% da Câmara Municipal. "O recado foi dado claramente: se fizer a gente continua, se não fizer sai. Não tem aquela história do líder comunitário ajudar", declarou.

"A gente põe e a gente tira. Eu entendi isso claramente. Essa é a política que eu quero, é a política que eu gosto", afirmou. "Das pessoas entenderem que, se não gostar, eles retiram", completou.

Debates ideológicos

"Toda renovação é bem-vinda. Eu não posso dizer o contrário, pois eu fui a renovação [da ultima legislatura]. Cada um tem uma ideia diferente, um partido diferente. Eles vão enviar essas ideias para a Câmara, e isso será debatido. Uma coisa que ficou chata na Câmara, é o tal embate do fulano com o beltrano. O que eu não quero ver no próximo mandato é isso. Eu quero o debate de ideias. É nisso que eu acredito", disse.

Ausências na Câmara

O vereador negou que seja um dos parlamentares com maior número de faltas no Legislativo Municipal. "Não é verdade que eu não tenho frequência na Câmara. Ela é normal, e muito superior a de muitos que estão lá. E por isso acho que fui reeleito".

"O que se questionou era a minha frequência na nossa comissão. Que é a Comissão de Educação, Esporte e Cultura. Eu não sabia nem como é que fazia aquilo ali no começo. Você chegava, não assinava a folha, participava depois de 15 minutos e ia embora. E eu nem sabia disso", explicou. "Quando se fala de ausência, não é no Plenário. Até por que eu participava de todas as sessões", completou.

Sobre a cassação de Wellington Magalhães

Damião comentou ainda sua ausência na sessão que levou à cassação do vereador Wellington Magalhães. "Eu participei de todas as audiências de cassação. Votei inclusive na cassação do vereador Wellington Magalhães. Votei na primeira data. Na segunda data, a Conmebol mudou as datas da Libertadores da América. Eu estava escalado [para trabalhar]. E me perguntam: 'por que você não mandou outra pessoa?' Não é assim não".

"Eu procurei saber nos corredores da Câmara, onde eu frequento, como estava a situação da votação de cassação do Wellington Magalhães. E já sabia que não era nada para ser apertado", revelou.

"Não deixei de votar na cassação do Wellington Magalhães, ou preteri uma votação por causa da minha profissão. Quem me conhece sabe que radialista eu sou, e me elegeram vereador. Não é o contrário. E não concordo de quem faz de cargo político profissão", disse"As pessoas sabem que eu trabalho no rádio e na televisão. E que eu faço o que faço na Câmara dos Vereadores porque gosto disso".

Influência do rádio em sua eleição

Segundo Álvaro Damião, o fato de trabalhar em uma grande rádio de BH não foi o principal influenciador de sua reeleição. "Quando se ganha uma eleição, as pessoas falam assim: 'o rádio, a televisão'. Sabe quantos radialistas participaram dessa eleição? Seis. Só um ganhou. Só um entrou. Qual é a força disso? Como se usa isso? É essa comunicação? Não vou ser hipócrita de falar que não vai te ajudar", contou.

Foco da próxima legislatura 

Entre os focos para o próximo mandato estão pautas como obras importantes de infraestrutura para BH, como o Anel Rodoviário e o metrô. "[Vou abordar] debates importantes sobre Anel Rodoviário, sobre chuva. A Câmara participa disso, mas não participa em Brasília. Por que que a Câmara não convoca os deputados para falar sobre esses temas? Por que que é o prefeito que tem que fazer isso?", disse.

"A Câmara tem que ser mais clara, e ela foi nesse mandato. Com a entrega de milhões da presidente Nely [de volta aos cofres]", completou.

"Nós precisamos discutir a Câmara sem achar que ela está só aqui. Belo Horizonte está em Brasília. Um dos grandes problemas de Belo Horizonte é o transporte público. E ela não tem por que não temos metrô. E não é só o prefeito que tem que cobrar isso. A Câmara tem que cobrar isso em Brasília. Nós temos que reclamar o metrô, temos que reclamar o Anel Rodoviário", explicou.

Sobre disputa a deputado federal

Questionado sobre uma possível disputa ao Congresso, em 2022, Damião foi evasivo, mas afirmou que o foco é o mandato atual. "É natural que as pessoas pensem isso [com a minha eleição]. Mas eu não vou sentar em uma cadeira pensando em outra. Se as pessoas acharem viável, é o futuro que vai dizer", declarou.

Confira a íntegra da entrevista do vereador Álvaro Damião ao 98 Talks



Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais